BTL atesta a dinâmica do turismo em Portugal, diz Ana Mendes Godinho

A secretária de Estado do Turismo reafirmou que a BTL é uma plataforma “muito positiva” de entendimento entre o sector público e privado, a qual “atesta a dinâmica” do turismo em Portugal.  Ana Mendes Godinho que falava esta terça-feira em Lisboa, na apresentação à Imprensa da Bolsa de Turismo de Lisboa lembrou as duas vertentes deste evento que está a comemorar os 30 anos, uma de negócios e a outra, de mobilização dos portugueses para este sector.

A governante considerou ainda que a BTL “é um reflexo do que tem sido a evolução do turismo em Portugal” realçando o facto de o país estar a viver um “excelente” momento turístico, e este ano “vai ser especialmente bom porque estamos todos com bons números”. Neste sentido avançou com alguns resultados demonstram “a forma extraordinária como Portugal evoluiu”.

Em termos de hóspedes, em 2005 o país recebeu 11 milhões de hóspedes, número que passou para 20,6 milhões o ano passado, enquanto as dormidas passaram de 35 milhões para 57 milhões em 2017, e o número de hotéis cresceu de 659 para 1.282. Para a secretária de Estado do Turismo “a oferta duplicou e teve a capacidade de fazer duplicar a procura, ou seja, não tivemos medo de crescer na oferta porque a procura foi alimentada por este movimento”.

Para Ana Mendes Godinho são boas também as notícias que dão conta que se a taxa média de ocupação da hotelaria nacional se situava em 39% em 2005, subiu para 51% em 2017, realçando igualmente a sustentabilidade da actividade durante todo o ano e em todo o território.

Também em termos de evolução das receitas, embora só esta sexta-feira serão conhecidos os resultados do Banco de Portugal, a secretária de Estado do Turismo indicou que se em 2005 se situavam em 7 mil milhões de euros, as perspectivas “são fantásticas e estaremos perto dos 15 mil milhões de euros”, para um sector que já representa 18% das exportações de bens e serviços e 51,1% das exportações de serviços, valendo já 12,5% do PIB nacional.

Ana Mendes Godinho realçou, por outro lado, que se há 10 anos, os quatro principais mercados emissores europeus para Portugal representavam 60% da procura, hoje representam menos de 50%, o que quer dizer que “estamos a diversificar a procura com crescimentos significativos dos mercados dos EUA, Brasil e China”, este último com um aumento de 40% em 2017.

A governante referiu ainda que a BTL palco de dinamização do turismo interno que só em Dezembro último teve um crescimento de 8%, para anunciar que o stand do Turismo de Portugal na Feira vai apresentar “alguma inovação e não o território”, onde igualmente estará em exibição o Óscar de melhor destino turístico do mundo.