BTL está mais moderna e mais estruturada

“O segredo da BTL é ter-se conseguido construir uma plataforma de entendimento de uma actividade que é uma constelação de serviços, com uma grande diferença de situações e de participantes, mas nós conseguimos, ao longo destes 30 anos, criar um ambiente de cooperação e de visão integrada”.

Foi assim que o presidente do Conselho Estratégico da Feira de Turismo de Lisboa, Vítor Neto caracterizou a Bolsa de Turismo de Lisboa, que decorre da FIL – Parque das Nações, de 28 de Fevereiro a 4 de Março, onde são esperados mais de 1.300 entidades e empresas, 1.500 profissionais estrangeiros, 400 hosted buyers de 30 mercados, mais de 3.000 reuniões profissionais agendadas, e mais de 75 mil visitantes.

Na apresentação da BTL à imprensa, esta terça-feira, em Lisboa, que contou com a presença da secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, do presidente da CTP, Francisco Calheiros, dos presidentes da AHP e AHRESP, Raul Martins e Mário Pereira Gonçalves, respectivamente, tanto o presidente da AIP, Jorge Rocha de Matos, como o presidente do Conselho Estratégico da Feira, evidenciaram as novas apostas da BTL e as mudanças que vão acontecer em relação à edição anterior, para a tornar “mais moderna e mais estruturada”.

Na sessão estiveram também presentes o presidente do Turismo de Portugal, Luís Araújo, Pedro Machado, presidente da Turismo Centro de Portugal, destino nacional convidado da BTL, José Brito, presidente da Câmara Municipal da Pampilhosa da Serra, município convidado, e Abdellatif Achachi, director-geral da Delegação Oficial de Turismo de Marrocos em Portugal, destino internacional convidado da Feira de Turismo de Lisboa.

Segundo Vítor Neto, a BTL “orgulha-se de, nos anos difíceis da crise, compreender as dificuldades do sector e adequou a sua proposta a essa situação” e nesta edição “está também em condições de poder dar o contributo nesta nova fase de crescimento do nosso turismo”.

Assim, de acordo com o empresário, a BTL 2018 promete ser “mais e melhor que o ano passado”. Temos todos os agentes do turismo presentes, empresários, organizações regionais, uma presença forte dos municípios, mais espaço, mais participantes, novas iniciativas, mais expositores, uma área maior, quatro pavilhões, um pavilhão dedicado à gastronomia com saída directa para o exterior, espaço dedicado à inovação e novas tecnologias, um forte programa de hosted buyers, a BTL Village para as empresas que não são do sector mas têm relações com o turismo, temos a BTL MI, promoções exclusivas para as férias dos visitantes, os destinos e município convidado e a bolsa da empregabilidade, e o mais importante, o público que vai visitar a Feira e verificar a força da economia do turismo”.

Vítor Neto sublinhou que “vamos transformar esta BTL num sucesso, para afirmar a importante do turismo como actividade estruturante da vida económica do nosso país.

Já o presidente da CTP, Francisco Calheiros realçou que a BTL “é na nossa opinião um grande momento de promoção do país, momento de contacto, de negócio e tem evoluído, inventado e criado, para além de ter a venda que considero que foi determinante para o sucesso da Feira. A BTL é fundamental para os actores privados e, nesse sentido, o que podemos prometer é que cada vez estaremos mais empenhados”.