Cabo Verde quer integrar espaço Schengen

Com vista a aumentar o fluxo de turistas, reduzindo barreiras, no quadro da parceria para mobilidade que existe com a União Europeia e projectar, no futuro, a possibilidade de os cabo-verdianos poderem também circular com liberdade, Cabo Verde quer integrar o espaço Schengen.

O ministro cabo-verdiano dos Negócios Estrangeiros, Luís Filipe Tavares, revelou que está a ser estudada a possibilidade de Cabo Verde se tornar numa extensão do espaço Schengen de livre circulação nos países europeus signatários do respectivo acordo, e que já tem a compreensão dos países da União Europeia.

O espaço Schengen resultou de um acordo rubricado por 30 países europeus, incluindo todos os integrantes da União Europeia (UE) – excepto a Irlanda e o Reino Unido – e três países não membros da UE, designadamente a Islândia, a Noruega e a Suíça com vista à abertura das fronteiras e à livre circulação de pessoas entre os países signatários.

Esta questão surge numa altura em que Cabo Verde está a ter um forte crescimento em termos de turismo, sendo intenção do governo criar todas as condições para que o fluxo de turistas aumente em qualidade.