Câmara da Moita apresentou projecto “Moita Património do Tejo”

A Câmara da Moita vai candidatar as técnicas de construção de embarcações tradicionais do Tejo a Património Cultural Imaterial da Unesco. O projecto “Moita Património do Tejo” foi publicamente apresentado no passado dia 22 de Junho.

No âmbito deste projecto, a Câmara da Moita vai promover a inscrição das técnicas de construção e reparação de embarcações tradicionais do Estuário do Tejo no Estaleiro Naval de Sarilhos Pequenos no Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial, para de seguida apresentar a candidatura deste património a inscrição na Lista do Património Cultural Imaterial que requer medidas urgentes de salvaguarda, da Unesco.

Na cerimónia de apresentação do projecto, o presidente da autarquia, Rui Garcia, afirmou estar convicto de que ele será “um contributo de grande importância para a salvaguarda das embarcações tradicionais do Estuário do Tejo, enquanto património vivo, não só do concelho da Moita, mas de toda a região”, acrescentando que este é mais um passo no sentido “da recuperação do Tejo, de salvaguarda do seu património e de regresso à vivência do Rio como factor de desenvolvimento social, ambiental e económico do concelho, da região e do país”.

Rui Garcia revelou também que é no concelho da Moita que se mantem vivo o último estaleiro de construção naval em madeira do Estuário do Tejo e um dos últimos do país, o Estaleiro Naval de Sarilhos Pequenos, do Mestre Jaime Costa.

De referir que a Câmara da Moita foi pioneira na aquisição, em 1980, do varino “O Boa Viagem”, abrindo assim o caminho para que outros municípios da região o fizessem.