Casas-Museu da Taipa encerradas até final de Setembro

Quem visitar Macau por estes dias não vai poder conhecer o espólio dos cinco edifícios portugueses das Casas-Museu da Taipa, considerados uma das relíquias patrimoniais e culturais do território, já que estão temporariamente encerrados para as primeiras grandes obras de manutenção e melhoramento desde 1999, devendo reabrir no final de Setembro.

O objectivo é integrar os cinco edifícios portugueses das Casas-Museu da Taipa e optimizar a área envolvente, mantendo as características arquitectónicas actuais, num projecto de renovação orçado em 6,4 milhões de patacas (760 mil euros).

O Instituto Cultural espera que as obras sejam totalmente concluídas no final do próximo mês, a tempo do Festival da Lusofonia, que se realiza anualmente naquele espaço no mês de Outubro.

Estas casas foram construídas em 1921 e serviam de residência aos funcionários superiores das ilhas, nomeadamente famílias macaenses. Na década de 1980 foram recuperadas pelos Serviços de Turismo de Macau e, em finais dos anos 1990, alvo de profundas obras de restauro devido ao seu valor arquitectónico, tendo-se transformado em espaços museológicos (Casa Macaense, Casa das Ilhas, Casa das Regiões de Portugal, Casa de Exposições e Casa de Recepções).