Castelo de Almourol está a ser restaurado e vai ter museu

O Castelo de Almourol, fortificação do século XII, em Vila Nova Barquinha, está desde esta semana a ser alvo de obras de recuperação e restauro, com vista à instalação de um núcleo museológico. As intervenções arrancaram na semana passada e vão prolongar-se por seis meses, incluindo trabalhos nas muralhas e torre de menagem, numa obra que está orçada em cerca de 500 mil euros. Entre os trabalhos previstos estão algumas intervenções em diversas zonas de desagregação dos panos da muralha e das torres, com a sua impermeabilização, drenagem das águas e beneficiação das muralhas, enquanto ao nível da torre de menagem se procederá à substituição o actual terraço e à instalação de uma escada metálica de circulação vertical. Com as intervenções, o Castelo de Almourol vai ganhar também um núcleo museológico, onde vão estar em exposição conteúdos referentes à ordem dos Templários, responsável pela edificação do monumento, no século XII. Edificado numa pequena ilha, em pleno rio Tejo, o Castelo de Almourol recebe actualmente cerca de 60 mil visitantes por ano e é um dos monumentos militares medievais mais emblemáticos do período da Reconquista, sendo simultaneamente um dos que melhor evoca a memória dos Templários no nosso país. “Historicamente, o Castelo de Almourol continua a merecer o interesse e a curiosidade de dezenas de milhares de turistas, estudantes e visitantes de todo o mundo e este projecto de musealização vai contribuir para a consolidação e aumento de turistas, configurando-se como um novo factor de atractividade ao nosso concelho”, defende Fernando Freire, vereador com o pelouro da Cultura da Câmara Municipal de Vila Nova da Barquinha. Com as intervenções, que resultam de uma candidatura ao Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN), com comparticipação de 85%, as visitas ao monumento vão ser suspensas a partir de dia 23 de Setembro, até à conclusão das obras. I.M.