Chef das Estrelas em Lisboa pela mão da United e do Sheraton

James Canora, o Chef das Estrelas, é membro do ?Congresso f Chefs? da United (antes Continental Airlines) desde há 15 anos, cabendo-lhe a responsabilidade de superintender, como ?Celebrity Chef? para Nova Iorque e região nordeste dos EUA, ao programa culinário da classe Business First da companhia. Degustar um almoço preparado pelas mãos de James Canora, conhecido como Chef das Estrelas, foi o convite dirigido à imprensa pela companhia aérea United Airlines e o Sheraton Lisboa. Um convite irresistível quando se sabia, à priori, que se iriam experimentar algumas das delicias servidas no famoso restaurante Delmonicos?s, em Nova Iorque. Autor do livro ?Dining at Delmonico?s ? A história do mais antigo restaurante da América?, James Canora está em Portugal a convite da United e do Hotel Sheraton, para preparar, no Panorama Restaurante, no último piso do hotel, uma série de refeições, para convidados (imprensa, trade), membros do programa de fidelização da Sheraton e clientes do hotel. Da ementa fazem parte ?O clássico Bisque de Lagosta? com Salpicons de Lagosta de Maine, Creme de Estragão e Brioche Baton; e ?Nori envolvido em Atum Corado? com cogumelos Shitakes marinados e Mousse de Pêra de Alligator, Soja de gengibre e Wasabi Aiolli. Como prato de carne, o Chef das Estrelas trouxe até nós o famoso ?Delmonico Marinado Bife Grelhado? com manteiga de alho e ervas, Cremoso de batata com Espargos e Trufa Preta, tendo como ?mimos? creme de espinafre e croquetes de rábano. A culminar, uma sobremesa também do mais famoso restaurante de Nova Iorque: ?O clássico Delmonico?s ?Baked Alaska?? com frutos silvestres, coulis de frutos vermelhos e molho de caramelo?. E porque estamos em Portugal, a refeição foi acompanhada de vinhos da Quinta Mendes Pereira, da região do Dão: um Branco Encruzado e um Tinto Escolha da Produtora, de 2006. A boa notícia para todos quantos viajam em Business First e na First da United é que estas iguarias fazem parte da ementa de bordo, à excepção da sobremesa. Isto porque, segundo o Chef, a sobremesa servida aos convidados era corada com um maçarico de cozinha, algo inviável a bordo, sendo por isso necessário encontrar uma técnica alternativa. De salientar que nos voos à partida do nosso país, a ementa servida a bordo inclui uma carta de vinhos com néctares bem portugueses. M.F.