Coimbra quer ser Região Europeia da Gastronomia em 2021

Com vista a valorizar a diversidade do território constituído por 19 municípios, a Comunidade Intermunicipal de Coimbra quer ser a Região Europeia da Gastronomia em 2021, tendo assinado esta segunda-feira o protocolo de candidatura ao título.

“Achamos que temos condições para responder a este desafio. A região, pelas suas condições e características, responde a vários níveis”, disse o presidente da Comunidade Intermunicipal (CIM) da Região de Coimbra, João Ataíde, na sessão de assinatura, que decorreu na Escola de Hotelaria e Turismo de Coimbra, citado pela Lusa.

O autarca da Figueira da Foz, João Ataíde, realçou que a região tem “características muito próprias para este desafio” devido à sua diversidade, que percorre o litoral ao interior, destacando o peixe, ao cabrito, passando pela chanfana e lampantana e doces conventuais, para lembrar que a região de Coimbra organiza muitos festivais à volta da gastronomia e saúde, “com uma tradição e uma cultura muito arreigada aos costumes das suas terras”.

Refira-se que a CIM Região de Coimbra tem de apresentar o dossier de candidatura ao Instituto Internacional de Gastronomia, Cultura, Artes e Turismo (IGCAT) até ao final mês. A aceitação da candidatura (ou não) será anunciada entre Outubro e Novembro, em Bruxelas, durante a Semana Europeia das Cidades e Regiões, depois de realizadas as peritagens exigidas pelo IGCAT às iniciativas que vão ser apresentadas.

Esta candidatura é promovida pela CIM Região de Coimbra, que conta com a Universidade de Coimbra, Turismo do Centro e Escola de Hotelaria e Turismo, Instituto Politécnico, Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro no grupo de fundadores, além do apoio do Ministério da Agricultura e da Secretaria de Estado do Turismo, num total de 30 entidades envolvidas.