Companhias aéreas suspendem voos para a Venezuela

A Avianca vai suspender os voos a partir de 16 de Agosto e a Delta Airlines a partir de Setembro, sem data limite em ambos os casos. Entretanto, a Iberia cancelou os voos deste domingo e a Air France tem os seus voos cancelados até terça-feira devido às eleições para a Assembleia Nacional Constituinte da Venezuela.

A companhia aérea colombiana Avianca informou que vai suspender as ligações para Caracas com origem em Bogotá (Colômbia) e Lima (Peru), a partir do próximo dia 16 de Agosto, após 60 anos de serviço contínuo. Segundo o presidente executivo da companhia, Hernán Rincón, a Avianca tem “toda a disposição e vontade de retomar os voos, assim que estejam garantidas as condições requeridas para o fazer”, em segurança.

Já a norte-americana Delta Airlines vai suspender os voos entre a Venezuela e os Estados Unidos, a partir de Setembro, após 15 anos de operações contínuas, uma decisão que tem na base a “instabilidade social” que se vive no país e a fraca ocupação dos voos.

Por seu turno, a espanhola Iberia cancelou os seus dois voos de domingo, 30 de Julho, entre Madrid e Caracas, devido à “delicada situação” de segurança gerada pelas eleições para a Assembleia Nacional Constituinte.

Pela mesma razão a Air France decidiu também cancelar as suas ligações entre Paris e Caracas, de domingo a terça-feira, 1 de Agosto. “Perante a situação actual na capital venezuelana, somos obrigados a suspender os nossos voos de Paris a Caracas do domingo, 30 de Julho, à terça-feira, 1º de Agosto”, informou a companhia.

Já a companhia aérea portuguesa, TAP, decidiu continuar a operar para Caracas com normalidade, mesmo durante o dia das eleições na Venezuela.