Companhias de cruzeiros endurecem politica de fumadores

As companhias de cruzeiros estão a endurecer as suas políticas de fumadores a bordo dos navios, uma tendência que se nota essencialmente nas companhias norte-americanas e que é apoiada por grande parte dos passageiros, segundo um estudo recente do site Cruise Critic. De acordo com o estudo, mais de metade dos passageiros inquiridos são a favor da proibição de fumar nas varandas dos navios, enquanto para um quarto a proibição deve ser total, argumentando que o cheiro do fumo dos cigarros invade o seu espaço privado, além de ter elevados custos de limpeza e segurança associados. O estudo, que incluiu mais de 500 passageiros de cruzeiros, mostrou que 54% dos inquiridos concordam com a proibição total de fumar a bordo dos cruzeiros, enquanto para 24% a proibição deveria ser estendida a todas as áreas dos navios, sendo que apenas 18% responderam que se trata de uma escolha pessoal. A pesquisa recorda que a companhia Renaissance Cruises, que já não existe, foi a primeira a introduzir uma politica de proibição total de fumo a bordo, decisão que foi de imediato seguida por outras companhias, lançando um intenso debate sobre o tema. Actualmente, o debate está novamente aceso devido à decisão da Disney Cruise Line de banir o fumo nos seus navios a partir de 15 de Novembro, anunciando que os passageiros que desrespeitarem a decisão serão multados em 250 dólares. Também a Royal Caribbean International , a Cunard e a P&O Cruises seguiram o exemplo, com a Seaborn a manter-se como uma das últimas companhias que ainda permitem que os passageiros fumem nas cabines, o que, no entanto, deverá deixar de acontecer já no próximo ano, devendo a proibição estender-se também às varandas dos navios Seaborn Legend, Pride e Spirit. Já a companhia alemã Hapag-Lloyd Cruise e as italianas MSC Cruzeiros e Costa Cruzeiros contam com várias áreas e lounges específicos para fumadores, sendo também possível fumar nas varandas dos navios da Hapag-Lloyd Cruise. I.M.