Continuar a crescer “é o desígnio” da Go4Travel, afirmou João Matias

“Vamos continuar a crescer porque esse é o nosso desígnio”, afirmou esta quinta-feira, 1 de Fevereiro, o novo presidente da Go4Travel, João Matias (Cosmos – Viagens e Turismo) na tomada de posse “simbólica” do novo Conselho de Administração do grupo.

João Matias precisou que a Go4Travel quer “continuar a crescer em credibilidade, a crescer em número de accionistas, gerando mais valor para todos” e quer também continuar a consolidar a sua “posição já expressiva no mercado”, afirmou João Matias.

Com 42 accionistas, 100 pontos de venda em todo o país, mais de 700 empregados e tendo atingido em 2017 uma “facturação global agregada de 366 milhões de euros”, mais 8% que em 2016, “a Go4Travel é cada vez mais uma realidade incontornável no panorama das viagens e turismo”, sendo “hoje o maior grupo de agências de viagens de capital português”, afirmou o novo presidente.

Referindo-se à nova equipa de gestão que ficará à frente da Go4Travel ao longo dos próximos três anos e que é composta por Maria de Lurdes Diniz (Wide Travel), Ricardo Ferreira (Osiris), João Pinto (A Tropical) e Tiago Rodrigues (WTS – World Travel Services), afirmou que “junta a experiência à juventude, a tradição à inovação e a continuidade à renovação”.

Além desta equipa, a Go4Travel passa agora a ter também um Conselho Consultivo que será coordenado por Joaquim Ferreira da Osiris e contará com Vítor Filipe da TQ – Travel Quality, Carlos Costa da Club Tour, Rui Horta da TOPMIC, Hélder Alves da Globalis e Miguel Quintas do Consolidador.com.

João Matias deixou claro que a nova administração da Go4Travel está “fortemente empenhada em ser um parceiro activo” da APAVT, o que considerou ser “uma obrigação” pois “com o ser maior vem também a obrigação de ser melhor e tentar contribuir decisivamente para enfrentar os muitos desafios que se colocam hoje às agências de viagens”.

De desafios falou também Pedro Costa Ferreira, presidente da APAVT, enumerando os mais importantes: estrangulamento do aeroporto de Lisboa, desigualdade fiscal internacional, restrições à operação turística nas grandes cidades, dificuldades na venda do segmento aéreo que causa “uma tensão evidente” entre agências de viagens e companhias aéreas e a directiva das viagens organizadas que entrará em vigor a 1 de Julho próximo.

Dirigindo-se à Go4Travel, Pedro Costa Ferreira afirmou tratar-se de “uma organização de referência no mercado português”, com “um desenho societário inovador”, que integra “um conjunto de agências de viagens que são, elas próprias referências no mercado” e tem “uma enorme capacidade de intervenção”.