Costa Cruzeiros passa a gerir directamente o mercado português

À imagem do que já acontece em Espanha, a Costa Cruzeiros passou, desde 1 de Dezembro, a gerir directamente o mercado português, com a gestão dos dois mercados ibéricos a ser feita em conjunto. Segundo a companhia italiana, trata-se de aumentar o foco e o compromisso com o mercado luso.

No comunicado em que justifica a alteração, a Costa Cruzeiros afirma que considera o mercado português “cada vez mais importante” e que a medida agora tomada visa “tirar partido das possibilidades de crescimento sólidas e sustentáveis que Portugal tem vindo a oferecer ao longo do tempo”.

A gestão directa tem em vista “reforçar a relação com os parceiros estratégicos, os agentes de viagens” no sentido de gerar maior procura, assegura a companhia no mesmo comunicado em que avança o objectivo de continuar a “fortalecer a reputação” da empresa na Península Ibérica, em Espanha como em Portugal, e “aplicar estratégias de expansão do mercado através do aumento do número de novos cruzeiristas”.

O desenvolvimento do negócio em Portugal, vai ser assegurado por Henrique Mateus, Senior Sales Manager, e Ricardo Lopes, Sales Manager.

A propósito da redefinição da estratégia no mercado português, Massimo Brancaleoni, vice-presidente Sénior de Vendas Globais da Costa Cruzeiros, declarou que a Costa “continuará a investir com o objectivo do crescimento do mercado português e a fortalecer a sua relação comercial com os parceiros locais”, tendo até em conta a tendência positiva para o mercado de cruzeiros que está a acontecer no mercado ibérico.

Recorde-se que a frota da Costa inclui actualmente 14 navios em serviço, todos de bandeira italiana. Entre 2019 e 2021, dois navios de última geração abastecidos por Gás Natural Liquefeito vão entrar em serviço, o Costa Smeralda e o Costa Toscana.

O Costa Smeralda representará o compromisso da companhia em reduzir o plástico descartável, substituindo-o por materiais alternativos, o que permitirá antecipar os objectivos da Directiva Europeia. Ainda no que toca aos cuidados com o ambiente, refira-se a recolha selectiva e a reciclagem a 100% de materiais como plástico, papel, vidro e alumínio, a que se alia o programa 4GOOFOOD, baseado na redução e recuperação do excedente alimentar para fins sociais.