Crise na TAP “deriva de uma situação positiva”, diz secretário de Estado dos Transportes

Em entrevista à SIC Notícias, segunda-feira à noite, o secretário de Estado dos Transportes, Sérgio Monteiro, referiu-se ao complicado momento que a TAP está a atravessar como sendo de “natureza operacional” e resultante de “dores de crescimento”, à imagem do que tinha sido já afirmado por Fernando Pinto. Aviões fretados, voos cancelados, atrasos, têm marcado as últimas semanas da TAP. Confrontado com a situação, Sérgio Monteiro, secretário de Estado dos Transportes, disse em entrevista à SIC Notícias, segunda-feira à noite, que estes são problemas “operacionais” e que, como tal, “têm que ter uma resposta de natureza operacional”, avançando também que “todos temos que estar do lado da solução”. “O que nós temos é uma crise de crescimento”, afirmou Sérgio Monteiro, acrescentando que a TAP “tem hoje um problema que deriva de uma situação positiva”, uma vez que a companhia “está a crescer, cresceu 10% no primeiro semestre desde ano face ao mesmo período do ano anterior”, com “mais 500 mil clientes”. Tal como já tinha feito o CEO da TAP, Fernando Pinto, numa declaração dirigida aos clientes da companhia e gravada no canal Youtube, também Sérgio Monteiro referiu que os problemas operacionais que estão a afectar a TAP resultam de “um conjunto de factores”, entre os quais se contam a entrega tardia dos seis aviões encomendados pela companhia, problemas com alguns aparelhos que “ficaram retidos nos destinos, por problemas que não têm directamente a ver com a TAP” e o aumento do número de rotas”. ”Esta rota de crescimento que a TAP tem tido tem o apoio do accionista, o que não pode voltar a acontecer é que este crescimento seja feito em bases de natureza operacional não sustentada”, frisou, acrescentando que tanto a secretaria de Estado dos Transportes como o Ministério da Economia, pediram já à TAP que “crie condições para que os problemas operacionais desapareçam”. M.F.