CroisiEurope coloca 5º barco no Douro e já tem outro encomendado para 2019

Foi uma cerimónia simples, seguido de um mini-cruzeiro com jornalistas, que marcaram a inauguração, este fim-de-semana, do quinto barco da CroisiEurope no Douro – o moderno MS Miguel Torga. Os padrinhos foram Isabel Ferreira de Castro, directora do Departamento do Turismo do Porto e Norte, e Domingos Carvas, presidente da Câmara Municipal de Sabrosa, terra natal do romancista e poeta português que deu nome ao novo barco de cruzeiros.

 

Depois do  Vasco da Gama (2002), do Fernão de Magalhães e do Infante D. Henrique (2003), do Gil Eanes (2015), do agora Miguel Torga, a navegarem nas águas do Douro entre o Porto e Vega de Terrón (Espanha), Christian Schmitter, CEO da CroisiEurope, anunciou, na sua intervenção, a chegada de novo barco em 2019, tendo realçado ainda que com apenas 4 barcos em Portugal, em 2015 a companhia  transportou cerca de 17 mil passageiros. Em Portugal já são cerca de 200 trabalhadores portugueses entre os 1320 funcionários que a empresa possui.

Estes cruzeiros, de seis a oito dias, custam mais de mil euros por pessoa e estão esgotados até ao final da época, em Novembro. São em tudo incluído, bem como algumas excursões.

Com a chegada do MS Miguel Torga, navio de categoria 5 âncoras, tal como o seu irmão mais velho Gil Eanes, são mais 132 passageiros que a CroisiEurope poderá acolher em cada cruzeiro de seis a oito dias, já que possui 66 cabines duplas, das quais 4 são suites, climatizadas individualmente e todas  com vista para o exterior. Estão equipadas com casas de banho privativas com duche e secador de cabelo, televisão come cran plano e cofre.

Construído em 2016 em França e «vestido» em Portugal , já que todo o mobiliário, os têxteis e os alumínios foram produzidos e instalados no nosso país, e com um investimento de 17 milhões de euros, o MS Miguel Torga é o supra sumo ao nível das mais recentes tecnologias de ponta, que o turisver.com teve a oportunidade de verificar na ponte do comandante Ricardo Simões, durante o mini-cruzeiro até à Régua, depois de atravessar as duas imponentes barragens de Crestuma (14 metros) e Carrapatelo (36 metros).

O MS Miguel Torga mede 80 metros de comprimento e 11,40 metros de largura e tem três decks onde se situam o restaurante, as cabines, a recepção, boutique, elevador e um salão-bar com enormes janelas e vistas amplas sobre o Douro. Possui igualmente um solário com piscina. Todo o bardo é climatizado e o wifi é gratuito a bordo.

Este novo barco é dono de uma decoração muito agradável, com formas e cores apuradas, que lhe conferem uma atmosfera contemporânea, linhas modernas e mobiliário design, tudo para oferecer uma nova estética. A luminosidade e os espaços abertos foram optimizados para garantir o bem-estar dos cruzeiristas.

Com um vasto rol de cruzeiros em mais de uma dúzia de rios europeus onde começou a operar em 1976 , a companhia, fundada por Gérard Schmitter, falecido há poucos anos, e hoje dirigida pela segunda e terceira gerações, tem vindo a crescer tanto a nível de facturação, que atingiu 161 milhões de euros em 2016 (+4% face ao anterior), como de passageiros, que ultrapassaram os 200 mil em 2016.

A empresa possui 45 navios e tem mais cinco fretados, na maioria colocados em rios europeus, mas também no Mekong (antiga Indochina), no Amazonas (Perú) e no Chobe (África do Sul), oferecendo também cruzeiros marítimos na costa do Adriático (Croácia).

Com exclusivo para as publicações do trade em Portugal, reportagem completa da inauguração do MS Miguel Torga e do mini-cruzeiro de presse no Douro, bem como das excursões realizadas na próxima edição da Revista Turisver.