Cruzeiristas em Lisboa querem voltar a visitar a cidade em lazer

Um estudo realizado pelo do Observatório do Turismo de Lisboa em conjunto com a Administração do Porto de Lisboa concluiu que o ano passado a maioria dos passageiros de cruzeiro é de nacionalidade britânica (40,5%), e 97,7% considera provável ou muito provável regressar à cidade em lazer ou fora do contexto de cruzeiro.

O inquérito a passageiros de cruzeiro revela, por outro lado, que a capital portuguesa está no top dos destinos a visitar, maioritariamente por casais britânicos, atraídos pelos monumentos, igrejas, museus e clima, e que preferem as zonas de Belém, Bairro Alto, Cais do Sodré, Baixa-Chiado.

Se os britânicos estão à cabeça, os cruzeiristas espanhóis, que ocupam o segundo lugar, registaram a maior subida de passageiros (22,1%) comparativamente a 2016 (11,3%). O terceiro lugar vai para a nacionalidade alemã, que representa 12,9% dos passageiros.

Os resultados deste estudo indicam ainda que o número de passageiros que já tinha visitado Lisboa subiu em larga escala (88,9%), em comparação com 2016 onde apenas 49% conhecia a capital portuguesa, tendo-se mostrado satisfeitos com os serviços do Porto de Lisboa, atribuindo uma avaliação de 8,33 numa escala de 1 a 10. No que diz respeito às despesas efectuadas durante a sua passagem por Lisboa foi de quase 50 euros, sendo a maioria registada por compras (42,4%) e alimentação (22,5%).

Para 84,4% dos inquiridos, cuja maioria (98,3%) viaja acompanhado, a fonte de informação privilegiada para a recolha de informação sobre o cruzeiro é a agência de viagens (41,3% em 2016), quando anteriormente eram os familiares e amigos.

O estudo teve como base uma amostra de 49 navios que fizeram escala em Lisboa, entre os meses de Abril e Novembro de 2017, tendo sido entrevistados um total 1003 passageiros.