“Cruzeiros portugueses” 2018 reflectem “clara aposta da companhia” em Portugal, afirma Eduardo Cabrita

Na temporada de 2018-2019, a MSC Cruzeiros volta a ter partidas e chegadas do Funchal, após três anos de ausência, e o MSC Preziosa vai chegar a Lisboa para cinco itinerários completos. Embora já anunciada, esta oferta foi frisada por Eduardo Cabrita, director-geral da MSC Cruzeiros em Portugal, que esta quarta-feira, na apresentação do catálogo 2018-2019, considerou tratar-se de “uma clara aposta da companhia no nosso mercado”.

Embora se conhecesse desde Maio que a MSC Cruzeiros iria regressar ao Funchal em 2018, esta foi uma das novidades realçadas esta quarta-feira, 4 de Outubro, pelo director-geral da MSC Cruzeiros em Portugal. “Três anos depois de não termos partidas e chegadas ao Funchal, vamos ter dois posicionamentos e dois cruzeiros completos, a 7 e 19 de Outubro de 2018”. Estes cruzeiros, segundo o responsável, foram lançados no mercado em Abril deste ano e a aceitação por parte do mercado tem sido boa, tanto que “há boas perspectivas de aumentar os dois allotments iniciais”, avançou Eduardo Cabrita. Génova, Porto Fino, Civitavecchia (Roma), Marselha, Barcelona, Málaga, Casablanca e Tenerife, integram o itinerários dos regressados cruzeiros Funchal.Funchal.

Também em 2018, a MSC Cruzeiros vai ter também cinco cruzeiros completos com saída e chegada a Lisboa, a bordo do navio MSC Preziosa, que tem capacidade para 4.400 passageiros, naquilo que Eduardo Cabrita afirmou ser “uma clara aposta da companhia em Portugal, com que nos congratulamos”. O primeiro cruzeiro desta temporada em Lisboa vai realizar-se a 15 de Setembro de 2018, havendo depois variações nas saídas de 25 de Setembro, 4, 13 e 22 de Outubro.

Com a chegada do Preziosa aos itinerários Lisboa-Lisboa, aumenta a oferta direccionada ao mercado português e, como confessou Eduardo cabrita, cresce também a responsabilidade da MSC Portugal em termos de ocupação de lugares. “Vamos ter uma grande pressão sobre o número de passageiros, porque este navio tem capacidade para 4.400 passageiros”, afirmou Eduardo Cabrita que antecipou esperar que “nos itinerários Lisboa-Lisboa para o mercado português, possamos ter 900 ou 1.000 passageiros em cada partida”. Trata-se de um número nunca antes alcançado, pelo que “será uma tarefa muito árdua”, mas o director-geral da MSC Cruzeiros está empenhado em atingir a meta, garantindo que “vamos começar a trabalhar a trabalhar desde agora, e falta um ano”. Para estes cruzeiros garantiu já existirem vendas e explicou que “se compararmos com há um ano atrás, em relação ao Magnifica que está agora a começar a sua temporada de cruzeiros em Lisboa, estamos praticamente 20% acima do que era expectável”.

Além dos cruzeiros Lisboa-Lisboa, haverá também itinerários com partidas ou chegadas à capital portuguesa. O primeiro será a 8 de Setembro de 2018, com o Preziosa a fazer Copenhaga-Lisboa, antes e se posicionar na nossa capital e após o terminus dos Lisboa-Lisboa o mesmo navio fará um “cruzeiro curto” de Lisboa para Génova e a 5 de Novembro o Orchestra fará outro itinerário curto de Génova a Lisboa, e em Março de 2019 o Divina fará o percurso inverso (Lisboa-Génova). Sobre estes cruzeiros de posicionamento, com menos dias de duração, o director-geral da MSC Cruzeiros em Portugal frisa que “são uma mais-valia” uma vez que permitem às empresas fazer incentivos, segmento que “tem tido cada vez mais procura”.