CTP considera positivo que OE 2014 incida na despesa pública

A CTP lamenta, no entanto, que não tenha sido reduzida a taxa de IVA que impende sobre o sector da restauração e bebidas e sobre o golfe, com Francisco Calheiros a considerar no entanto que ?ainda há tempo para alterações? que visem uma maior competitividade do sector do turismo. Em comunicado ontem emitido, a Confederação do Turismo Português (CTP) considera positivo que o Orçamento de Estado para 2014 incida na despesa pública para consolidação orçamental, salientando medidas inseridas na Reforma do IRC, nomeadamente a redução da taxa de imposto. Mesmo assim, durante a reunião da Comissão Permanente da Concertação Social, ontem realizada, com a presença do primeiro-ministro, a CTP lamentou, que não tenham sido contempladas outras medidas como o reforço de medidas de combate à ?economia paralela?, a reintrodução da taxa de IVA intermédia no sector da restauração, e a redução do IVA no golfe, que a Confederação considera ?fundamentais para fortalecer o sector do Turismo, responsável por 14% das exportações de bens e serviços, 10% do Produto Interno Bruto e 8% do emprego no país?. Citado em comunicado, o presidente da CTP, Francisco Calheiros afirma que ?ainda há espaço para alterações que conduzam a um aumento da competitividade de um sector que todos sabemos que é fundamental para a recuperação da nossa economia e para o aumento do emprego?. M.F.