CTP: PENT tem metas “excessivamente ambiciosas”

A Confederação do Turismo Português emitiu ontem um comunicado em que considera que algumas das metas constantes do novo PENT são “excessivamente ambiciosas”, lamentando ainda que o documento não inclua novos produtos estratégicos nem produtos como o turismo religioso ou o turismo desportivo. “Com a incerteza ainda pairando sobre o clima económico europeu, consideramos excessivamente ambiciosas as metas constantes do documento que procede à revisão, se, apesar da aposta também em alguns mercados emergentes, tivermos em conta que 85% das dormidas de estrangeiros em Portugal são provenientes de países europeus”, justifica o presidente da CTP, Francisco Calheiros. Chamando a atenção para o facto de o Plano Estratégico Nacional do Turismo (PENT) não ter em consideração a programação financeira 2014-2020, que integra a nova política da coesão, a Confederação do Turismo Português lamenta que o Plano não inclua novos produtos estratégicos, ao mesmo tempo que também não considera produtos como o Turismo Religioso ou o Turismo Desportivo. Assim, e embora se congratule com o facto de a quase totalidade das objecções que levantou terem sido consideradas, a Confederação afirma no entanto “não poder estar 100% de acordo” com o documento que esteve em discussão pública até ao último dia de Janeiro. Embora considere o novo Plano “globalmente positivo”, a CTP aponta ainda o “dedo” ao caso da Madeira que sendo “provavelmente a segunda região de Portugal com mais proprietários estrangeiros, deveria ser considerada como emergente no produto de turismo residencial e incluída na referência a essa Região esse sector estratégico”. M.F.