CTP quer impedir aplicação de taxas turísticas

“Ameaça à competitividade e sustentabilidade do sector”, é como a Confederação do Turismo Português considera as taxas turísticas que classifica como “mais um imposto”. Por isso, garante em comunicado, vai “desenvolver esforços” para “impedir” a sua aplicação.

Em comunicado difundido esta segunda-feira, a Confederação do Turismo Português, manifesta-se contrária à aplicação de taxas turísticas, considerando que representam “uma ameaça à competitividade e sustentabilidade do sector”, configurando “mais um imposto que em nada beneficia o desenvolvimento da actividade turística do nosso país”.

Condenando a introdução recente da taxa turística em Vila Real de Santo António, tal como já o tinha feito nos casos de Aveiro e de Lisboa, a CTP defende que “todos os agentes envolvidos no sector do Turismo devem estar concentrados na criação de condições facilitadoras e atractivas para as empresas e para os turistas que nos visitam e não em medidas que aumentem a pressão sobre os preços de alojamento”.

Citado no comunicado, Francisco Calheiros, presidente da Confederação do Turismo Português, afirma que “as taxas turísticas configuram mais um imposto, aplicado unilateralmente e sem contrapartida directa”. O presidente da CTP garante ainda que “vamos desenvolver todos os esforços no sentido de impedir a aplicação destas taxas nos municípios portugueses”.