CTP ?rejeita liminarmente? aumento de IVA na hotelaria

A Confederação do Turismo Português emitiu ontem um comunicado em que afirma a sua frontal oposição à proposta da OCDE para eliminar a taxa reduzida de IVA de 6% que actualmente impende sobre a hotelaria e o seu consequente aumento para a taxa máxima de 23%. ?A Confederação do Turismo Português (CTP) rejeita liminarmente o aumento para 23% da taxa global do IVA na hotelaria? que é proposta no relatório da OCDE e considera que o aumento para 23% do IVA no alojamento hoteleiro ?representa uma séria ameaça à sustentabilidade das empresas turísticas e à competitividade? de um sector que contribui em 10% para o Produto Interno Bruto (PIB) e 8% para o emprego. A propósito, o presidente da Confederação do Turismo Português, Francisco Calheiros adianta que ?a subida da taxa do IVA não irá cumprir o objectivo de aumentar as receitas fiscais mas sim determinar perdas de competitividade do Turismo, uma vez que as empresas não têm condições de internalizar estes custos e serão obrigadas a aumentar os preços, levando os turistas a optar por outros destinos?. A CTP considera ainda fundamental que, num período como o que se atravessa no país, ?todos os agentes envolvidos no sector se concentrem na criação de condições facilitadoras e atractivas para as empresas e, consequentemente, para os turistas que nos visitam e não em medidas que aumentarão a pressão sobre os preços de alojamento?. M.F.