Director-executivo da Ryanair contesta negociações do Brexit

Michael O’Leary, director-executivo da Ryanair, em entrevista à SkyNews, lançou um ataque às políticas de Theresa May relativamente ao Brexit, lembrando a urgência de um acordo comercial, pois o Brexit vai ser “desastroso para a economia do Reino Unido”.

Numa crítica condenatória, Michael O’Leary afirma não ter confiança nem em Theresa May, nem em David Davis, o ministro responsável pelas negociações do Brexit por parte do Reino Unido. Advertiu que os voos para a Europa poderão ser atingidos, caso o acordo comercial não seja alcançado e a se verifique a queda das regras da Organização Mundial do Comércio.

“Não há recuos na aviação”, atesta O’Leary, para continuar “Vai haver um cessar de voos a partir de Março de 2019, a não ser que [Theresa May] consiga um acordo nos próximos 12 meses”. “As negociações não estão a correr bem. O que esperava o povo britânico? Os europeus não se vão mexer. A responsabilidade de incorrer num acordo é do Governo Britânico”, explica.

Se este acordo não for conseguido até Março de 2019, o Reino Unido é “corrido” da União Europeia, o que implica estar fora do acordo de Open Skies. “O problema para a indústria da aviação é que precisamos de ter a informação com seis meses de antecedência, por esta altura do próximo ano”, informa o director da Ryanair. “Para quem tentar reservar as suas férias para o Verão de 2019 aqui no Reino Unido, por esta altura de 2018, as opções vão ser conduzir até à Escócia, ou apanhar um ferry para a Irlanda”, conclui.