Directores hoteleiros contra taxa turística de Cascais

Segundo o presidente da Associação dos Directores de Hotéis de Portugal, esta é uma medida “avulsa” que não está provado que seja necessária e sobre a qual não se sabe se as receitas geradas serão ou não alocadas a projectos turísticos.

A ADHP – Associação dos Directores de Hotéis de Portugal, manifesta o seu repúdio face à aprovação pela Associação de Turismo de Cascais, em assembleia geral extraordinária a 29 de Setembro, da introdução de uma taxa turística sobre as dormidas de alojamento no concelho. Aliás, a ADHP afirma mesmo, em comunicado, que, enquanto “representante dos profissionais que têm a responsabilidade de assegurar a rentabilidade e qualidade de empreendimentos hoteleiros” no nosso país, repudia a criação de taxas turísticas “sem que haja uma sustentação e um enquadramento que prove a necessidade das mesmas”.

Neste caso, afirma a ADHP, esta necessidade não está provada e a Associação até “desconhece qualquer intenção da autarquia de alocar as receitas provenientes da referida taxa ao financiamento de projectos de relevante interesse turístico para a região”.

A propósito deste tema, Raul Ribeiro Ferreira, presidente da ADHP, afirma que “esta medida avulsa nem sequer surge associada à criação de uma comissão de gestão para gerir as receitas com o único sector que vai contribuir para esta taxa”.