Dormidas aumentaram em Julho mas mercado interno desacelerou

Dados do INE mostram que os estabelecimentos hoteleiros registaram, em Julho, 2,1 milhões de hóspedes e 6,5 milhões de dormidas, com subidas de 10,2% e 7,0%, respectivamente. Na base do crescimento estiveram os mercados externos (+ 9,3%), enquanto o mercado nacional desacelerou para +2% (+8,5% em Junho) com descidas no Algarve e Lisboa.

A propósito destes indicadores, o INE comenta que “os resultados de Julho estiveram aquém dos registados desde o início do ano, mais notoriamente no que respeita aos residentes (+6,7% de Janeiro a Julho) mas também no caso dos não residentes (+11,6% no período acumulado).

O número de dormidas aumentou em todas as regiões do Continente e Ilhas, tendo sido mais significativa nas regiões Norte e nos Açores, com subidas de 13,6% e 12,0%, respectivamente. As três principais regiões turísticas apresentaram aumentos menos expressivos (+4,1% no Algarve, +7,7% em Lisboa e +7,3% na R.A. Madeira).

As dormidas de residentes aumentaram significativamente no Alentejo e nos Açores (+10,7% em ambas). As regiões Norte, Centro e Madeira apresentaram também crescimento mas menos significativo enquanto no Algarve e Lisboa o mercado interno apresentou valores negativos, com -2,9% e -0,2%, respectivamente.

Mesmo assim, o Algarve continuou a ser o principal destino do mercado interno (37,2%), seguido por Lisboa (16,1%), Norte (15,9%) e Centro (15,7%).

As dormidas dos mercados externos também subiram em todas as regiões, destacando-se Norte (+20,5%) e Açores (+12,6%). No Algarve (+6,9%), observou-se um aumento do mercado britânico (+7,0% de dormidas na região) e do alemão (+9,6%), mas uma redução do espanhol (-7,2%).

O INE indica ainda que os não residentes foram predominantes em todas as regiões excepto Centro e Alentejo. Na Madeira atingiram a maior expressão, com 87,1% do total de dormidas, seguindo-se Lisboa (77,7%) e Algarve (73,4%).

O que continua em queda é a estada média que em Julho se quedou pelas 3,13 noites (-2,9%). No período de Janeiro a Julho a evolução deste indicador foi também negativa (-0,5%; 2,79 noites).