Dormidas na hotelaria sobem à custa do preço, diz Cristina Siza Vieira

Tecendo um breve comentário aos dados sobre o alojamento turístico dados a conhecer segunda-feira pelo INE, e que reflectem o aumento do número de hóspedes e de dormidas, a presidente da Direcção Executiva da AHP, que falava à margem da apresentação do 25º Congresso da Associação, sublinhou que ?as dormidas sobem mas à custa do preço?. Embora distinguindo os dados globais de alojamento turístico do INE dos resultados estritamente hoteleiros, Cristina Siza Vieira explicou que ?os dados relativos a Maio confirmam aquilo que eram as perspectivas para o Verão e para o consolidado do ano? e que passavam por uma subida da taxa de ocupação, as quais disse, ainda ?terão crescido mais por via da crise política e social que se vive na Turquia e no Egipto? que terão levado ?a um desvio grande de mercados tradicionais daqueles destinos, como o alemão e o inglês, do qual estamos a aproveitar?. No entanto, a presidente da Comissão Executiva da AHP sublinhou que as perspectivas de que taxas de ocupação sejam boas continuam a ser traçadas ?com sacrifício do preço?, o que ?tem também a ver com a retracção nos nossos principais mercados emissores, nomeadamente os europeus?. Algo que não tem apenas a ver com a crise mas também com o facto de as pessoas estarem cada vez mais sensíveis ao preço e, neste sentido, os operadores ?tentarem esmagar preços?. M.F.