DRCN investe na operação “Mosteiros a Norte”

A Direcção Regional de Cultura do Norte vai investir um total de 2,3 milhões de euros na operação “Mosteiros a Norte”, que visa intervenções com vista a continuar a consolidação já realizada nos mosteiros sob a sua tutela.

A operação, comparticipada pelo Programa Operacional Norte 2020 e Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional, engloba os mosteiros de Arouca, Grijó em Vila Nova de Gaia, Rendufe em Amares, Tibães em Braga, Pombeiro em Felgueiras e Vilar de Frades, em Barcelos. Tem como objectivo melhorar e criar espaços de recepção/acolhimento, reforçar as iniciativas culturais e artísticas e divulgar os espaços como pólos de atracção no território.

De momento, já está a decorrer a intervenção de restauro da Capela Tumular de D. Rodrigo Sanches e encontra-se em fase de adjudicação a empreitada de execução dos trabalhos de conservação e restauro no nártex da fachada no Mosteiro de Grijó. Decorre ainda a fase de contratação pública para a conservação e restauro de elementos decorativos da Sala da Memória, no Convento de Vilar dos Frades.

Para a conservação e restauro do Mosteiro de Grijó prevêem-se duas empreitadas, com vista a melhorar a imagem do conjunto monástico na paisagem de forma a aumentar a atractividade para o visitante. Trabalhos que incidirão na cobertura, nártex, fachadas e claustro. Face ao valor patrimonial da capela, que alberga o túmulo de D. Rodrigo Sanches, irão realizar-se trabalhos de recuperação e valorização de uma peça artística da tumulária medieval.

Por seu lado, e para completar a intervenção ao nível da igreja, no Convento de Vilar de Frades realizar-se-á a montagem e restauro do único retábulo em falta das capelas laterais. Na Sala da Memória serão efectuados trabalhos de conservação e restauro do tecto policromado, portadas, roda cadeiras e rodapés, de modo a criar condições de fruição deste espaço.

A operação “Mosteiros a Norte”, bem como a “Castelos a Norte” que já arrancou com o Castelo de Montalegre, faz parte de um investimento total de 11,5 milhões de euros, disponibilizados pela DRCN, que até 2020 será investido na valorização de castelos, catedrais, mosteiros e igrejas sob a sua tutela. Os mosteiros de São João de Tarouca e Santa Maria de Salzedas em Tarouca e o Convento de Santo António de Ferreirim em Lamego fazem parte da nova operação do Vale do Varosa, em que vão ser investidos dois milhões de euros.