easyJet, Airbus e Nicarnica Aviation criaram 1ª nuvem artificial de cinza

Do trabalho conjunto entre o construtor aeronáutico Airbus, a companhias aérea easyJet e a empresa de tecnologia Nicarnia Aviation, resultou a criação de uma nuvem de cinza artificial para testes e o conceito de sensor AVOID que detecta e estima as concentrações de cinza vulcânica na atmosfera. Na base destas experiências, efectuadas com sucesso, esteve o problema gerado, nos meses de Abril e Maio de 2010, pela nuvem de cinza expelida por um vulcão na Islândia que levou ao encerramento do espaço aéreo e, por essa via, ao cancelamento de inúmeras operações aéreas. Durante as experiências, a equipa de testes conseguiu gerar uma nuvem de cinza artificial por cima da Baía da Biscaia, libertando uma tonelada de cinza vulcânica recorrendo a um avião Airbus A400M; medir a concentração da nuvem com um pequeno avião, voando através da mesma; pilotar um Airbus A340-300 equipado com o sensor AVOID em direcção à nuvem e identificá-la a 60 km, além de medir correctamente a sua concentração. Dados os resultados positivos das experiências, a easyJet planeia continuar a desenvolver o sistema tendo em mente a instalação de unidades em alguns dos aviões da sua frota até 2014, assegurando assim uma solução que poderá evitar um novo fecho do espaço aéreo, como aconteceu em 2010. Ian Davies, Engineering Director da easyJet, diz que “a ameaça dos vulcões Islandeses não desapareceu, pelo que estamos muito contentes com o resultado desta experiência única e inovadora. Descobrir uma solução é cada vez mais crucial para assegurar que não nos deparamos novamente com o cenário da primavera de 2010, quando todas as rotas aéreas do espaço europeu foram fechadas durante vários dias?. O responsável afirmou ainda que ?este é um passo essencial nesta viagem final de testes desta tecnologia e no caminho que nos leva à certificação comercial. A easyJet vai agora trabalhar no desenvolvimento de um sistema não integrado stand-alone para posterior integração em vários aviões da nossa frota até ao fim de 2014?. A propósito da nova tecnologia, Charles Champion, Executive Vice President da Airbus e Head of Engineering, referiu que ? com o AVOID, queremos provar que o conceito de detecção de nuvens de cinza pode funcionar, algo que ficou demonstrado no teste. Agora, necessitamos de analisar todos os dados que foram recolhidos?. Acrescentou ainda que ?estamos no início de uma invenção que se pode tornar numa solução muito útil para que a aviação comercial possa prevenir paragens de larga escala devido a problemas com cinza vulcânica?. M.F.