easyJet aposta no segmento corporate

A aposta da low cost britânica no corporate abrange também o mercado português, segmento em que a companhia 20% da operação em Portugal. Segundo a easyJet o segmento corporate é uma das suas apostas ?bem sucedidas? também em Portugal, onde a companhia espera que este segmento atinja, no próximo ano, 20% do total da operação no nosso país. Para tingir o objectivo, a companhia tem vindo a adequar o produto, rotas, horários e tarifas a este segmento de mercado, dando-lhe a opção de selecção de lugares. Neste sentido, tem também vindo a ser adequado o sistema de reservas para as agências de viagens e os acordos corporativos estabelecidos. Ao nível tarifário, os passageiros corporate passaram, desde Setembro, a poder escolher entre três tarifas diferenciadas: standard, inclusive e flexi fare. Através da tarifa standard, disponível no site da companhia e no GDS, os passageiros pagam apenas os serviços que querem. A tarifa inclusive, apenas disponível no GDS, inclui 20Kg de bagagem de porão e crédito de 4,00 euros para lugar marcado, não tendo taxas de reserva adicionais. Já a flexi fare, disponível no site da transportadora e no GDS, permite flexibilidade e inclui 20Kg de bagagem de porão, selecção de lugares à frente, embarque prioritário (Speedy Boarding), utilização de passagens prioritárias de segurança (fast track security, em Portugal Green Way) nos aeroportos seleccionados, e possibilidade ilimitada de alteração de viagem numa janela de 4 semanas, não tendo taxas de reserva adicionais. M.F.