easyJet atualiza estimativas de resultados para o terceiro trimestre

A actualização das estimativas dos resultados da companhia tem a ver com o “verdadeiro desafio” que os meses de Maio e Junho têm representado para a “operação de todas as companhias aéreas”. Greves, congestão do espaço aéreo, condições meteorológicas adversas e impacto da tragédia com o avião da Egyptair são algumas das “ocorrências extraordinárias” apontadas.

A easyJet começa por referir o cancelamento de 1.061 dos seus voos nos meses de Maio e Junho que se deveram a factos extraordinários como “greves contínuas dos Controladores de Tráfego Aéreo em França, congestão do espaço aéreo e da pista no aeroporto de Gatwick, condições meteorológicas adversas”, entre outras, sendo que só até 25 de Junho houve 700 cancelamentos.

Estas situações, acrescidas da tragédia da Egyptair, resultaram, segundo a easyJet, na “diminuição da procura por parte do consumidor”, que teve como consequência “o decréscimo do Resultado antes de Impostos de aproximadamente 28 milhões de libras no terceiro trimestre, assim como a um impacto negativo na receita por lugar de cerca de 1.6%”. Assim, a receita por lugar vai “cair cerca de 8.6%” no terceiro trimestre deste ano.

Por outro lado, o clima de incerteza provocado pelo Brexit poderá levar a que “este verão a receita por lugar a moeda constante seja afectada em meio ponto percentual” e que os custos anuais com o petróleo sejam agravados em 25 milhões de libras.

No entanto, a companhia assegura que “os factores como a rede única, a liderança digital, a solidez financeira e base de custos mais baixa, irão garantir que a easyJet vai continuar a aposta na sua estratégia e prosseguir a liderança no mercado”.