easyJet teve um dos melhores Invernos de sempre

Com um lucro de 8 milhões de libras, sem contar com o impacto positivo do início da sua operação em Tegel, uma receita superior a 2 mil milhões de libras, uma subida de quase 20% em termos homólogos, bem como o movimento de 37 milhões de passageiros, a easyJet teve um dos melhores Invernos de sempre.

De acordo com a transportadora aérea low cost, a robustez da rede e da proposta comercial a apresentar um forte desempenho nos primeiros seis meses do exercício. Este desempenho sustentou-se “ num ambiente comercial positivo e um aumento da taxa de ocupação nas rotas da easyJet,  nas reduções de capacidade de outras companhias aéreas que actuam nos mercados da easyJet, e  na transição parcial do período de Páscoa do segundo semestre em 2017 para o primeiro semestre em 2018.

No semestre do exercício, que findou no passado dia 31 de Março, o número de passageiros aumentou para 36,8 milhões, uma subida de 3 milhões de passageiros, que inclui os 700 mil das novas operações em Berlim Tegel que a easyJet lançou em Janeiro. No período em análise, a capacidade crescei 7,8% graças ao aumento de 4,6% da rede e aos 1,2 milhões de assentos adicionais do Aeroporto de Berlim/Tegel. A taxa de ocupação aumentou 0,9 pontos percentuais para 91,1%.

A easyJet espera que o lucro global, antes de impostos, para o exercício anual que finda a 30 de Setembro de 2018, incluindo os impactos globais no Tegel, seja de cerca de 530 milhões a 580 milhões de libras, enquanto a despesa de capital incluindo o investimento em Tegel, deverá manter-se em linha com o anteriormente apontado e cifrar-se em 1,12 mil milhões de libras.