Eduardo Jesus destaca “caminhar conjunto” da Madeira com os agentes de viagens

Na sessão de encerramento do 45º Congresso da APAVT que decorreu no Funchal, o secretário Regional do Turismo e Cultura da Madeira destacou a importância do trabalho conjunto que tem sido levado a cabo entre a região e os agentes de viagens. O governante madeirense apontou também os objectivos para o destino Madeira e Porto Santo.

Ai intervir, no passado sábado, no encerramento do congresso da APAVT, Eduardo Jesus começou por agradecer à Associação a escolha da Madeira para ali realizar, pela 5ª vez, a sua reunião magna. “Temos estado juntos com os agentes de viagens e assim queremos continuar”, afirmou, acrescentando que a região está consciente de que “só fazendo parte deste importante sistema seremos melhores e mais capazes para enfrentar os desafios”.

Destacando o “relacionamento cordial e estreito” que tem existido entre o Turismo da Madeira e a APAVT, apontou alguns exemplos daquilo que denominou ser um “caminhar conjunto” entre as duas instituições. Entre os vários pontos enumerados esteve o programa Madeira Specialist “que abrangeu cerca de um milhar de agentes de viagens nacionais” e cuja existência “deixa clara a importância que a Região reconhece ao trabalho dos agentes de viagens e ao seu papel dinamizador nas vendas naquele que constitui o mercado natural da Região e uma das três principais origens deste destino, a par do Reino Unido e da Alemanha”.

Na sua intervenção, Eduardo Jesus lembrou algumas dificuldades com que o destino Madeira se debate, a começar pelas “falências de companhias de aviação e de operadores turísticos”. Aos efeitos nefastos destas situações, somam-se ainda a “feroz aposta de destinos concorrentes, sobretudo na bacia do Mediterrâneo”, os “comportamentos geopolíticos cada vez mais inesperados” e as “mega-tendências mundiais, onde a Ásia se afirma o centro das atenções”. Para o governante madeirense, esta é “uma realidade com que há que saber lidar”.

Porque “a realidade actual coloca-nos um conjunto de circunstâncias que reclama acção, a Madeira está a prosseguir a estratégia definida para o turismo e que tem um horizonte temporal até 2021. Uma estratégia em que, afirmou, “estão bem evidentes os objectivos para o destino Madeira e Porto Santo que passam por: qualificar e consolidar a oferta, reforçar a notoriedade e a atractividade e melhorar os indicadores de desempenho do destino”.

O secretário Regional do Turismo deixou também claro que a Madeira tem bem definidos os seus objectivos em matéria do sector turístico: “Temos uma visão clara e sabemos para onde queremos ir. Queremos consolidar a Região como um destino turístico diferenciado, pela autenticidade da oferta, baseada no genuíno e na qualidade do serviço, visando a sustentabilidade económica, social e ambiental”, afirmou.