Empresas portuguesas vão investir mais em viagens em 2017

Esta é uma das conclusões do Barómetro das Viagens de Negócios da Travelstore American Express, segundo o qual 60% das empresas portuguesas inquiridas pretende aumentar o seu investimento em viagens, tendo maioritariamente como destinos a Europa e África.

Apresentado esta quarta-feira no Salão das Viagens de Negócio, o estudo conduzido revela um aumento das perspectivas das empresas em termos da realização de viagens, já que em 2016 eram 52% as empresas que tencionavam viajar mais. Contas feitas, há agora um aumento de 8p.p..

Para a melhoria de perspectivas na realização das viagens contribui o aumento de confiança das empresas portuguesas na economia do país face ao Barómetro do ano.

Quanto a destinos das viagens que as empresas perspectivam realizar, África volta a ser o continente que mais cresce, com 51% (33% em 2016). A crescer estão também as intenções de investimento na Europa, que ocupa o primeiro lugar com 59% (51% em 2016).

No polo oposto descem as intenções de investimento em viagens para as Américas, tanto na América do Sul (18% no Barómetro 2017, 24% em 2016), muito por via da situação que se vive no Brasil, como nos Estados Unidos (14% este ano face a 19% o ano passado). Como grande parte dos inquéritos para este Barómetro foi realizada depois das eleições americanas, poderá, eventualmente, existir aqui um certo “efeito Trump”.

Na apresentação do estudo, Frédéric Frère, CEO da Travelstore, sublinhou que o facto de haver mais empresas a viajar – e o número tem vindo a subir -, não significa aumento do volume de negócios para as agências em igual proporção até porque, afirmou “a tarifa média das viagens desceu o ano passado” muito por via do enfraquecimento da procura por viagens de longo curso, nomeadamente para África e Brasil. “Para os Estados Unidos conseguimos tarifas a 500€ mas as viagens para África têm preços muito elevadas”.

Inquirido sobre as perspectivas para este ano, o responsável adiantou prever que se continue na mesma linha, ou seja “vamos ter mais viagens, mas por um valor menor”.