Entrar em Cabo Verde sem visto só a partir Janeiro de 2019

Estava anunciado para este mês de Maio, mas o governo de Cabo Verde adiou para Janeiro de 2019 a isenção de vistos de entrada no país para cidadãos da União Europeia e Reino Unido.

A regulamentação do decreto-lei sobre a entrada e permanência de estrangeiros em Cabo Verde, que regula a isenção de vistos para os cidadãos da União Europeia e do Reino Unido, foi aprovada quinta-feira em Conselho de Ministros.

“O que fizemos agora foi regulamentar a lei que permite a isenção de vistos. Estamos em condições de produzir a resolução que entrará em vigor no dia 1 de Janeiro de 2019″, disse, em conferência de imprensa, o ministro de Estado e da Presidência do Conselho de Ministros, Fernando Elísio Freire, citado pela Lusa, que comentava a regulamentação do decreto-lei aprovada quinta-feira pelo Conselho de Ministros de Cabo Verde.

Elísio Freire referiu que o adiamento foi concertado com os operadores turísticos que terão de adaptar as suas plataformas à plataforma de pré-registo que será criada no âmbito deste processo, para acrescentar que “até 1 de Janeiro todas as entidades estarão alinhadas e preparadas para permitir que entre em vigor a isenção de vistos”.

O ministro da Presidência do Conselho de Ministros adiantou que a perda estimada de cerca de 22 milhões de euros de receita com a isenção de vistos será compensada pela criação de uma taxa de segurança a pagar por estes turistas. Para tal, o governo irá criar uma plataforma tecnológica onde haverá a questão do visto e da segurança.

Refira-se que Cabo Verde tem recebido, nos últimos anos, uma média de 500 a 600 mil turistas por ano, mas o país quer chegar a um milhão até 2021. Reino Unido, Alemanha, Bélgica/Holanda e Portugal são os principais países emissores de turistas para o arquipélago.