ERT ? RL pretende ?afirmar um projecto regional? e ?assegurar coerência da promoção turística?

Na intervenção proferida na posse dos corpos sociais da Entidade Regional de Turismo da Região de Lisboa, o presidente da Comissão Executiva, Vítor Costa, deixou clara a intenção de ?afirmar um projecto regional? e trabalhar de forma articulada com a ATL, tanto ao nível da promoção como na elaboração de um Plano Regional de Turismo que deverá ficar concluído em 2014. A ERT-RL tem ?um projecto de afirmação regional no turismo, firme no combate às tendências de centralização e a decisões discriminatórias?, afirmou Vítor Costa, acrescentando que a Entidade Regional vai estar particularmente atenta ?a questões como o tratamento da nossa região no âmbito do quadro comunitário de apoio, a justiça nas taxas aeroportuárias e o equilíbrio dos investimentos promocionais públicos nas diversas regiões?. Se a afirmação de um projecto regional é ?a primeira tarefa? com que a ERT ? RL se confronta, ?o maior desafio? para o próximo ano reside na elaboração de um Plano Regional de Turismo, que Vítor Costa considerou ser ?a primeira prioridade estratégica do mandato? que agora se inicia. Um Plano que deverá assumir-se como ?plataforma de consenso?, elaborado conjuntamente pela ERT-RL e que, por isso, sublinhou, ?não será o plano da ERT nem o plano da ATL, mas sim o plano de todos, que terá a ambição de ser assumido também pelos municípios nos seus instrumentos próprios e pelas empresas nas suas estratégias?. Pretende-se, assim, que o Plano ?constitua a plataforma de intervenção regional, tornando a região mais forte, mais coesa e mais competitiva e que seja um estímulo e um guia para a região em matéria de turismo?, acrescentou o presidente da Comissão Executiva da ERT-RL Mas não será apenas o Plano Regional de Turismo a ser concertado entre as duas entidades, já que para a ERT – RL é necessário ?assegurar a coerência e unidade da promoção turística?. Nesta matéria, garantiu Vítor Costa, ?não alimentaremos sobreposições nem desperdícios? pelo que se pretende ?unificar a promoção, interna e externa?. Assim, ?para uma actuação coerente em todos os mercados? será aproveitada a capacidade da ATL e os meios técnicos e humanos de ambas as entidades. Neste sentido, ficou a promessa: ?Não mais se repetirá a presença de duas Lisboas? em feiras ?nem a duplicação de materiais e sites promocionais?. *Leia mais na próxima edição da revista Turisver M.F.