Estâncias balneares do Mar Vermelho são excepção ao alerta do governo português sobre o Egipto

Em nota divulgada online pela Secretaria de Estado das Comunidades, o governo português desaconselha as ?viagens não essenciais? para o Egipto mas abre uma excepção para as estâncias balneares localizadas no Mar Vermelho, embora recomende cautelas. Devido à instabilidade que se continua a viver no país, o Ministério dos Negócios Estrangeiros desaconselha as viagens ao Egipto mas abre excepções. Em nota publicada online no site da Secretaria de Estado das Comunidades pode ler-se que ?o Egipto vive um período político tenso, agravado por um cenário de incerteza económica, pelo aumento da criminalidade e pelos acontecimentos dos últimos dias. Neste contexto, desaconselham-se quaisquer viagens não essenciais ao Egipto, à excepção das estações balneares mais importantes do Mar Vermelho?, importantes centros turísticos do país. Ainda sobre a situação nas estâncias balneares do Mar Vermelho, que costumam atrair também muitos turistas lusos, a nota do Ministério recomenda mesmo assim algumas cautelas: ?Embora a situação se apresente relativamente normalizada nos centros turísticos mais importantes do Mar Vermelho, recomenda-se aos cidadãos nacionais que tomem todas as precauções. As deslocações devem realizar-se, sempre que possível, em grupos organizados?, lê-se no comunicado. Alertando que nos grandes centros urbanos as manifestações poderem degenerar em violência, o governo português aconselha quem, mesmo assim, parta para o Egipto, a contactar, antes de partida, o gabinete de Emergência Consular do Ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE) ou, já no Egipto, a embaixada de Portugal no Cairo. M.F.