Europa vai exigir visto electrónico a turistas de fora da zona Schengen

A partir de 2020 vai ser obrigatório o visto electrónico para aos cidadãos de países fora da zona de Schengen entrarem na Europa, que será necessário emitir antes do embarque.

Países como a Inglaterra, Irlanda, Roménia, Ucrânia e Bósnia, que não fazem parte da zona de Schengen (tratado que permite a livre circulação entre os países europeus), estarão fora desta exigência, ou seja, não exigirão o visto Etias (European Travel Information and Authorization System).

A medida, que será implementada a partir de 2020, foi aprovada, em Abril último, pelos representantes do Parlamento Europeu e do Conselho Europeu, e é válida para viagens de turismo, de negócios, ou mesmo com objectivos médicos. O custo será de sete euros (independentemente da aprovação ou não do visto), a pagar através de cartão de débito ou crédito (apenas maiores de 18 anos pagam esta taxa) e poderá ser emitido quatro dias antes da viagem. Através do site do Etias é preciso enviar algumas informações pessoais e, desde que aprovado, o turista poderá visitar os países da zona Schengen por um período de três anos.