Evento ?Marrocos no Castelo dos Mouros? dispara visitas ao monumento

A Parques de Sintra, empresa responsável pela gestão dos parques e monumentos de Sintra, fez sexta-feira um balanço positivo da iniciativa ?Marrocos no Castelo dos Mouros?, evento promovido em parceria com o Turismo de Marrocos e que, em cinco dias, levou perto de nove mil visitantes ao monumento. De acordo com a Parques de Sintra, o dia com maior número de visitantes foi o domingo, 8 de Setembro, quando o Castelo dos Mouros registou 2.573 entradas, o equivalente a mais de um quarto do total de 8.870 visitas contabilizadas nos primeiros cinco dias da iniciativa e que representa um novo recorde num dos mais conhecidos e emblemáticos monumentos da vila. ?Até 10 de Setembro o Castelo recebeu 8.870 visitas, durante o evento dedicado à cultura marroquina, em parceria com a Embaixada de Marrocos. Este número, muito superior ao registado em Setembro do ano passado (com uma média diária de cerca de 1.000 entradas) representa uma subida de 66%?, assinala a Parques de Sintra em comunicado. A iniciativa, que terminou ontem, serviu também para assinalar a recuperação de que o Castelo dos Mouros foi recentemente alvo e que motivou um investimento de 3,2 milhões de euros, dotando também o monumento de um novo espaço de acolhimento, constituído por cafetaria com esplanada, loja e bilheteira, bar, instalações sanitárias, tendo sido também recuperada a zona envolvente e os caminhos de acesso ao Castelo dos Mouros. ?Estes dados demonstram que os objectivos de «Marrocos no Castelo dos Mouros» estão a ser amplamente atingidos. O evento terá levado os visitantes a encontrar um novo motivo para redescobrir o Castelo, muitos anos depois da sua visita anterior, sendo surpreendidos positivamente pelas melhorias instituídas pela recente requalificação?, declara António Lamas, presidente do Conselho de Administração da Parques de Sintra. O evento ?Marrocos no Castelo dos Mouros? foi uma iniciativa que pretendia celebrar a cultura marroquina, tendo como palco um lugar simbólico do passado muçulmano em Portugal, contando com várias actividades, como música, gastronomia, artesanato, fotografia, tatuagens de hena e caligrafia árabe. I.M.