Évora Hotel: mercados internacionais compensam quebra nos ibéricos

Os mercados português e espanhol continuam a ser os principais para o Évora Hotel, unidade de quatro estrelas em Évora. No entanto, estes mercados têm vindo a acusar uma certa retracção, até agora compensada por mercados internacionais como o brasileiro, disse ao Turisver.com o director-geral da unidade, Miguel de Melo Breyner. Tendo em Portugal e Espanha os seus principais mercados, o Évora Hotel tem sentido uma certa retracção no número de clientes provenientes destes dois países por via da situação económica. No entanto, como sublinha o director-geral da unidade, Miguel de Melo Breyner ?as quebras nestes dois mercados têm sido compensadas pelo crescimento de outros mercados internacionais?. É o caso do mercado brasileiro que ?tem subido bastante? no Alentejo ?não só ao nível do segmento de lazer mas também do corporate?. Aliás, Melo Breyner explica que ?o que tem mudado no Évora Hotel nestes dois anos de crise é que o segmento de lazer baixou mas o corporate subiu?, em parte pelos investimentos que têm surgido na região, como a fábrica da Embraer, A este propósito, sublinha que ?o Alentejo já tem condições para receber congressos?, pelo que garante não entender ?porque é que não está previsto no novo PENT que o Alentejo faça uma aposta neste produto?. A dar os primeiros passos no Alentejo e no Évora Hotel está o mercado chinês, que ali tem chegado através de operadores espanhóis ? ?semanalmente temos recebido pelo menos um grupo de turistas chineses?, diz o director da unidade, acrescentando que se trata de ?um mercado interessante mas que ainda desconhecemos?. O hotel está a tentar adaptar-se a este novo mercado, oferecendo às refeições alguns pratos específicos e Melo Breyner garante que ?o próximo passo é conseguir comunicar mais com eles, apostando um pouco na formação de mandarim?. M.F.