easyJet vai aumentar capacidade em 6%

A easyJet planeia aumentar a capacidade em cerca de 6% no exercício de 2018, excluindo qualquer potencial da oferta da Air Berlin, depois de em Outubro último ter anunciado um acordo para adquirir parte das suas operações no aeroporto de Berlim Tegel, por um valor de 40 milhões de euros.

No âmbito da aquisição, que deverá ser concluída em Dezembro de 2017, a easyJet irá celebrar contratos de aluguer de até 25 aeronaves A320 e empregar 1000 antigos membros das tripulações da Air Berlin, bem como assumir outros activos, entre os quais as faixas horárias. O valor da aquisição não inclui potenciais custos de arranque e de transição.

No próximo exercício, a easyJet prosseguirá a sua estratégia de investimento dirigido de forma a obter um crescimento lucrativo e a assegurar posições de liderança em aeroportos principais, bem como a aumentar os retornos a longo prazo.

No entanto, tendo por base os pressupostos actuais, a easyJet estima incorrer em perdas globais de cerca de 60 milhões de libras nas actividades do aeroporto de Tegel no exercício de 2018, uma vez que iniciará as operações em Janeiro do próximo ano em regime de aluguer de aeronaves com tripulação com taxas de ocupação e rendimentos iniciais mais baixos. Além disso, esperam-se custos extraordinários e não globais associados à transacção no exercício de 2018 de cerca de 100 milhões de libras. A transportadora aérea estima que esta transacção de parte da operação da Air Berlin comece a gerar lucros apenas no exercício de 2019.

No exercício de 2017, que terminou a 30 de Setembro, a easyJet transportou num total de 80.2 milhões de passageiros, um crescimento homólogo de 9.7%, e registou uma taxa de ocupação recorde de 92.6% (2016: 91.6%). No mesmo período, a capacidade cresceu 8.5%, atingindo os 86.7 milhões de lugares. A receita total foi de 5,047 milhões de libras, uma subida de 8.1%, e a receita por assento manteve-se praticamente inalterada em termos homólogos (-4%), com um valor de 58, 23 libras.

Refira-se que no passado dia 10 de Novembro, o Conselho de Administração da transportadora aérea de baixo custo anunciou a nomeação de Johan Lundgren como novo CEO em substituição de Carolyn McCall. Lundgren, que era CEO adjunto do Grupo TUI irá iniciar funções na companhia no próximo dia 1 de Dezembro.