Fernando Medina: “O nosso objectivo é crescer”

A ATL tem um objectivo claramente definido para os próximos três anos: fazer crescer o turismo em Lisboa, cidade e região. O objectivo foi avançado pelo presidente do Turismo de Lisboa e da Câmara, Fernando Medina, que voltou à temática do novo aeroporto para Lisboa, que considera imprescindível.

“Queremos mais turistas e queremos mais valor deixado pelo turismo na cidade de Lisboa. Num tempo em que ouvimos tanto ruído, gostava de ser claro: o nosso objectivo é crescer”. Foi assim que o presidente da ATL e da Câmara Municipal de Lisboa definiu esta quinta-feira, na tomada de posse dos novos corpos sociais do Turismo Lisboa, os objectivos traçados para a cidade para os próximos três anos. Ao mesmo tempo que dava resposta a todos quantos começam a clamar contra o excesso de turistas na cidade.

Os esforços, no entanto, não serão apenas orientados para o crescimento, mas também para a melhoria de condições para quem vive e trabalha na cidade. Importa assim, de acordo com Fernando Medina, conciliar as duas vertentes e, como afirmou, a conciliação entre quem vive na cidade e quem a visita “é talvez uma das matérias mais delicadas da gestão quotidiana de uma cidade”. Garantiu no entanto que “palavras como proibir, excluir, limitar, são palavras que estão excluídas do nosso léxico, o que temos de fazer é adaptar, regular, compatibilizar, harmonizar”. E exemplificou com o que foi feito com os tuk tuk. Por outro lado importa “criar novas centralidades para o turismo” e “adaptar” a cidade a um elevado número de turistas.

Para poder crescer há que debelar constrangimentos e um deles poderá ser, a breve prazo o aeroporto. “Fizemos mal em não ter tomado a decisão há três anos”, disse Medina que chamou a atenção para o crescimento do número de passageiros verificado nos últimos anos na Portela:  “Em três anos, o aeroporto de Lisboa cresceu de 15 milhões para 20 milhões de passageiros. Não podemos adiar o debate sobre a ampliação da capacidade aeroportuária de Lisboa. Se o fizermos, estamos a comprometer o crescimento da procura”.

Para que a procura não seja prejudicada, o presidente da Câmara e da ATL afirmou ser “importante tomar uma decisão sobre a expansão da capacidade aeroportuária da cidade de Lisboa durante o ano de 2016”.

Na sua intervenção, Fernando Medina falaria ainda de qualificação, de autenticidade e atractividade, de investimentos estratégicos e do peso do turismo lisboeta nas exportações e na economia da cidade e do país.

Na sua intervenção, o presidente da ATL deixou uma palavra de apreço a Mário Machado que durante 10 anos assumiu as funções de presidente adjunto do organismos e anunciou que vai propor que Lisboa reconheça o mérito do seu trabalho em prol do turismo e da cidade.

  • Leia mais na próxima edição da revista Turisver