Fórum Turismo 2.1 reuniu 35 profissionais em debate sobre IATA e agências de viagens

O Fórum Turismo 2.1 reuniu na passada terça-feira, 24 de Setembro, 35 profissionais da distribuição turística num evento que procurou analisar a relação entre a IATA e as agências de viagens, em mais uma edição da iniciativa ?Opiniões em Debate?. O debate, que contou com a participação de Anabela Almeida, do Consolidador, Ricardo Fernández, da Tourism & Law, e Vítor Filipe, da TQ Viagens, como oradores convidados, abordou vários pontos que visavam uma possível melhoria no equilíbrio na relação entre a IATA e as agências de viagem. No decorrer do debate, foi-se concluindo que a relação entre a IATA e as agências de viagens não é equilibrada, com Anabela Almeida a afirmar mesmo que ?um dos maiores desequilíbrios começa na parte contratual, não existindo uma associação forte a nível Europeu que faça face ao peso da IATA?. O debate permitiu concluir que a falta de uma filial da IATA em Portugal ?torna o acesso e o conhecimento da própria entidade à realidade do mercado português mais difícil?, existindo também problemas ao nível do BSP, cujo prazo de pagamento é curto. Em destaque estiveram também as elevadas garantias bancárias pedidas pela IATA às agências de viagens, bem como pela falta de intervenção política e legal das entidades que representam as agências de viagens a nível europeu, no sentido da defesa dos direitos das agências de viagens, tendo sido também solicitada uma maior definição dos contratos, o que pode tornar as negociações entre a IATA e as agências de viagens mais equilibradas. No final do encontro, Frédéric Frère, presidente do Fórum Turismo 2.1, anunciou que estas questões vão continuar a ser seguidas pelo Fórum, que se vai manter atento e a debater os desequilíbrios existentes entre os agentes de viagens e a IATA, tentando identificar formas de atenuar as suas consequências negativas junto dos profissionais da distribuição. I.M.