Grupo Alexandre de Almeida tenta travar concurso para o Palace do Bussaco

Segundo avançou a Agência Lusa, o Grupo Hotéis Alexandre de Almeida interpôs uma providência cautelar para tentar travar o concurso público internacional para a exploração do Palace Hotel do Bussaco, lançado em Fevereiro pela Fundação Mata do Buçaco. Recorde-se que o grupo hoteleiro gere a unidade desde a sua abertura, há 99 anos.

O processo que envolve a gestão do Palace Hotel do Bussaco não é novo. O contrato de arrendamento do mais carismático hotel de cinco estrelas do país ao Grupo Alexandre de Almeida terminou em 2003 e desde então tem sido prorrogado a título provisório. Uma situação que, segundo alega a Fundação, tem impedido a realização de obras de fundo.

Ciclicamente tem estado em cima da mesa a possibilidade de abertura de concurso público para exploração da unidade. Em Fevereiro a Fundação foi mesmo para a frente com um concurso internacional que deveria estar concluído em 90 dias e ditaria a gestão da unidade por 23 anos.

De acordo com a Agência Lusa, de Fevereiro para cá esta é a segunda vez que é apresentado recurso ao Tribunal Administrativo e Fiscal de Aveiro, o que levou já à prorrogação dos prazos do concurso que decorre agora até 6 de Julho.

O Grupo Alexandre de Almeida que detém a gestão da unidade desde 1917, opôs-se desde a primeira hora ao processo, tendo vindo a apresentar inúmeros pedidos de esclarecimento ao júri do concurso, além de um documento com dezenas de alegados erros e omissões detectados no concurso. Segundo a Agência Lusa, uma das medidas contestadas incide sobre a obrigatoriedade de o novo arrendatário fazer um depósito de 3 milhões de euros para financiamento das obras de requalificação da unidade.

Recorde-se que, face ao concurso, e nos termos da lei, o Grupo Alexandre de Almeida tem o direito de preferência sobre os restantes concorrentes, bastando para isso igualar os montantes da proposta.

A providência cautelar interposta pelo Grupo Hotéis Alexandre de Almeida, avança também a Lusa, terá sido já contestada pela Fundação Mata do Buçaco, sem que no entanto seja ainda conhecida a decisão do Tribunal.

Com cerca de um século de existência, o Grupo Hotéis Alexandre de Almeida, que agora se integra na marca Thema Hotels, é o mais antigo grupo hoteleiro português e do seu portfólio fazem parte, além da gestão do Palace Hotel do Bussaco, o Palace Hotel da Curia, o Astória em Coimbra, o Praia Mar em Carcavelos, o Hotel Jerónimos 8 e o Hotel Metrópole, em Lisboa.