Hotelaria algarvia com ocupação e volume de negócios idênticos a Janeiro de 2012

No passado mês de Janeiro, a hotelaria algarvia registou uma taxa de ocupação global e um volume de negócios idênticos aos de Janeiro de 2012, com a ocupação a subir apenas 0,9 pontos percentuais, para 26,9%, de acordo com os dados provisórios avançados ontem pela Associação dos Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve (AHETA). A ocupação mais elevada, diz a AHETA, foi registada nos Hotéis e Aparthotéis de três estrelas, que apresentaram uma taxa de 39%, enquanto os aldeamentos e apartamentos turísticos de três estrelas foram os que tiveram a ocupação mais baixa, ficando-se pelos 20,5%. Os hotéis e aparthotéis de cinco estrelas, por sua vez, foram os que registaram a maior descida, perdendo 6,7 pontos percentuais, enquanto aldeamentos e apartamentos turísticos de cinco e quatro estrelas, bem como os hotéis e aparthotéis de três estrelas foram os que registaram as maiores subidas, de 8,2 e 5,6 pontos percentuais, respectivamente. Por zonas geográficas, Faro / Olhão e Vilamoura / Quarteira / Quinta do Lago tiveram subidas de 6,1 e 4,7 pontos percentuais, a maiores em toda a região, tendo a principal descida sido registada em Portimão / Praia da Rocha, com menos 9,9 pontos percentuais. Já a zona de Monte Gordo / VRSA registou a taxa de ocupação média mais elevada de toda a região, atingindo os 60,1%, enquanto a zona de Lagos / Sagres registou a mais baixa, com 14,1%. Em termos de nacionalidades, os mercados holandês e britânico foram os que mais subiram nos estabelecimentos de hotelaria do Algarve, apresentando crescimentos de 1,3 e 0,5 pontos percentuais, respectivamente. Já em sentido oposto esteve o mercado alemão, que apresentou a maior descida, perdendo 1,1 pontos percentuais, enquanto o espanhol desceu 0,2 pontos percentuais. Na informação enviada ontem à imprensa, a AHETA recorda que os dados referem-se apenas aos estabelecimentos que se encontram em funcionamento, não tendo em conta os que se encontram encerrados. I.M.