Hotelaria com quebras de 30% a 40% com fim do feriado no Carnaval

O vice-presidente da Associação da Hotelaria de Portugal (AHP), Luís Veiga, estima que o fim da tolerância de ponto no Carnaval tenha provocado quebras de 30% a 40% na hotelaria, números que se comparam com 2011, uma vez que já em 2012 o feriado tinha deixado de existir. “Os números estarão ao nível do ano passado, altura em que já não houve tolerância de ponto e a quebra foi equivalente. Por isso, comparando com o último ano em que houve tolerância de ponto, que foi 2011, as quebras oscilam entre os 30% e os 40%, conforme as regiões”, adiantou o responsável ao portal Dinheiro Vivo. Luís Veiga diz não compreender o porquê de se manterem “decisões políticas deste tipo – eliminação de feriados e pontes – que provocam uma enorme contracção da actividade económica num sector que tem efeito multiplicador no emprego indirecto como nenhum outro”. As quebras são, de acordo com o responsável, que é também administrador do Grupo IMB Hotels, comuns a todos os destinos nacionais, mesmo aos que não dependem tanto do turismo doméstico, como é o caso da Madeira e do Algarve. “Mesmo os destinos que não dependem tanto do turismo interno e que estão mais dependentes do turismo externo, como a Madeira e o Algarve, em termos de ocupação estão com níveis muito baixos. A nível interno, não tiveram procura”, sintetiza Luís Veiga. I.M.