Hotelaria de Lisboa com Setembro positivo na ocupação

Em Setembro, a hotelaria de Lisboa registou crescimento na taxa de ocupação global, que subiu 1,5% face a Setembro de 2012, com destaque para o bom desempenho dos três estrelas. Apesar da subida na ocupação, o preço médio e o revPar da hotelaria da capital desceram em Setembro, caindo 2,2% e 0,7% a nível global, respectivamente, de acordo com o Observatório do Turismo de Lisboa. Com a subida de 1,5% face a Setembro do ano passado, a taxa de ocupação global da hotelaria de Lisboa passou para 84,03%, com subidas a assinalar também nos hotéis de três e quatro estrelas, que cresceram 2,7% e 3,2%, respectivamente, para taxas de ocupação de 91,53% nos três estrelas e 88,34% nos quatro estrelas. Já nos hotéis de cinco estrelas a situação foi diferente, com esta categoria de unidades a apresentar uma descida de 0,5%, para uma taxa de ocupação de 71,23%. No acumulado até Setembro, cuja taxa de ocupação global foi de 68,70%, subida de 1,9% face a igual período de 2012, há apenas a assinalar a descida de 1,2% nos três estrelas, para 73,85%, enquanto os quatro e cinco estrelas subiram 4,7% e 1,3%, para 72,67% e 58,01% de ocupação, respectivamente. Já no preço médio, houve uma descida generalizada em Setembro, com o preço médio global da hotelaria lisboeta a recuar 2,2%, para 80,44 euros. Por categorias, a maior descida foi dos quatro estrelas, onde este indicador teve um decréscimo de 8,3%, para 65,86 euros, enquanto os três estrelas caíram 0,7%, para 55,88 euros, e os cinco estrelas 0,3%, para 134,28 euros. Já o acumulado até Setembro traduz exactamente o contrário. De Janeiro a Setembro, a hoteleira de Lisboa regista um preço médio global de 75,36 euros, subida de 4,7%, com destaque para os três estrelas, que tiveram a maior subida, registando um crescimento de 4,6%, para 51,40 euros. Os quatro estrelas subiram 1,5%, para 62,99 euros, enquanto os cinco estrelas tiveram uma subida de 1,7%, para 123,73 euros. Quanto ao revPar, a tendência voltou a ser de descida no mês de Setembro, com o revPar global a retrair 0,7%, atingindo os 67,59 euros, sendo que apenas os três estrelas conseguiram uma subida, crescendo 2% no revPar, para 51,14 euros. Os quatro estrelas desceram 5,4%, para um revPar de 58,18 euros, e nos cinco estrelas a quebra foi de 0,8%, para 95,64 euros. Mais uma vez, a tendência registada até Setembro no revPar difere da registada apenas nesse mês, com o revPar global a apresentar um crescimento de 6,7%, para 51,77 euros, neste caso com a maior subida a pertencer aos quatro estrelas, que viram este indicador subir 6,3%, para 45,78 euros, enquanto os três estrelas subiram 3,3%, para 37,95 euros, e os cinco estrelas ganharam 2,9% no revPar, que passou para 71,78 euros no acumulado entre Janeiro e Setembro. I.M.