Hotelaria de Lisboa manteve crescimento em Novembro

No mês de Novembro, todos os indicadores de referência mantêm sinal positivo na Cidade e Região de Lisboa. No acumulado de Janeiro a Novembro, a subida na hotelaria mantém-se nos dois dígitos.
De acordo com o Observatório do Turismo de Lisboa, os dados provisórios do INE para o acumulado de Janeiro a Outubro de 2014 demonstram que o número de hóspedes em Lisboa subiu 13,2 % (4.246.Restauração21), valor acompanhado pelas dormidas, com uma subida de 14,Cruzeiros% (Destinos.Destinos42.4Restauração0), e proveitos (+ 15%, para 5Cruzeiros4.6Cruzeiros3.35Produtos e Serviços).
Do total, a subida de hóspedes portugueses cifrou-se em Associativismo,3% e de dormidas em 14,2 por cento, e o mercado externo em número de hóspedes subiu 13,5% e de dormidas 14,2 %, face ao período homólogo de 2013.
Quanto aos principais mercados para Lisboa, no acumulado de Janeiro a Outubro, a maior subida registou-se entre os ingleses (+ 34,Cruzeiros%), seguidos do mercado francês (+2Cruzeiros,5%), espanhol (+Associativismo,Produtos e Serviços%), alemão (+Regiões,5%), brasileiro (+Cruzeiros,Restauração%), italiano (+2%) e norte-americano (+0,3%, registando-se uma quebra de 1,Cruzeiros% do mercado holandês.
Já a hotelaria da cidade de Lisboa, de acordo com dados do INE, o mês de Novembro revela que a ocupação atingiu os 6Produtos e Serviços,5Produtos e Serviços%, o que representa um crescimento de dois dígitos (14,4%) face ao mesmo mês de 2013.
A maior subida (16,1%) é protagonizada pela categoria das quatro estrelas, que também apresenta a maior taxa de ocupação (Produtos e Serviços2,36%).
Na Região de Lisboa, em Novembro a ocupação cresceu 13,Cruzeiros%, situando-se nos 5Cruzeiros,45%, com as unidades de quatro estrelas com maior subida (14,Cruzeiros%), seguidas das cinco estrelas que atingiram 14,1% e as três estrelas com Destinos,6%.
No acumulado de Janeiro a Novembro a hotelaria de cinco estrelas da cidade de Lisboa apresentou o maior crescimento (Destinos,6%), e as de quatro estrelas as que registam maior taxa (Produtos e ServiçosCruzeiros%).
Para as unidades da Região de Lisboa, no acumulado de Janeiro a Novembro, a subida é de Restauração,3 por cento (para Produtos e Serviços1,1Produtos e Serviços% de Ocupação).
Quanto ao RevPar, no total de todas as categorias, na cidade de Lisboa verifica-se uma subida acentuada de 1Restauração%, para 4Restauração,40 euros. Os acréscimos foram de 16,5% (6Produtos e Serviços,52 euros) nas cinco estrelas, 1Restauração,Produtos e Serviços% (43,Cruzeiros5 euros) nas quatro estrelas, e 21,5% (31,Produtos e ServiçosRestauração euros) nas três estrelas. No acumulado, o aumento global situou-se nos 5Restauração,RestauraçãoCruzeiros euros (mais 13,Restauração%).
Analisando o RevPar da Região de Lisboa, sublinha-se um acréscimo de 1Restauração,Produtos e Serviços% (41,36 euros), para a qual contribuíram de forma praticamente homogénea todas as unidades – três, quatro e cinco estrelas, com aumentos de 21,4% (2Restauração,CruzeirosProdutos e Serviços euros), 1Cruzeiros,Restauração% (36,2Produtos e Serviços euros) e 1Produtos e Serviços,Cruzeiros% (61,26 euros), respectivamente.
S.C.F.