Hotelaria lisboeta com resultados animadores em Fevereiro

No passado mês de Fevereiro, a hotelaria lisboeta registou resultados globalmente positivos, com a taxa de ocupação, preço médio e revPar a apresentarem subidas face a Fevereiro de 2012. Pela negativa, o destaque vai para os três estrelas, que apresentaram descidas em todos os indicadores, de acordo com os mais recentes dados do Observatório de Turismo de Lisboa. Relativamente à taxa de ocupação, a hotelaria da capital registou uma taxa média global de 49,16%, subida de 7,1% face a igual mês do ano passado, com destaque para os quatro estrelas, que apresentaram a taxa de ocupação mais elevada entre todas as categorias (52,32%), tendo registado também a maior subida (+11,2%). Já os três estrelas pautaram-se por uma descida de 4,5% na ocupação, registando uma taxa de 48,60%, enquanto os cinco estrelas subiram a ocupação em 10,6%, para 43,68%. No acumulado dos últimos 12 meses, a taxa de ocupação dos hotéis da cidade de Lisboa ficou nos 44,82%, apenas 0,2% abaixo de igual mês de 2012, novamente com destaque para os três estrelas, que registaram um decréscimo de 6,9% na ocupação, para 45,31%, enquanto os cinco estrelas apresentaram uma ocupação média de 39,03%, descida de 3,8%. Os quarto estrelas foram a única categoria a apresentar uma subida da ocupação no acumulado do ano, passando para uma média de 47,76%, subida de 4,9%. Já o preço médio, que na globalidade dos hotéis subiu 0,1% em Fevereiro, para 66,62 euros, teve a sua maior descida nos cinco estrelas (-8,9%), fixando-se nos 103,91 euros, seguindo-se os três estrelas, com uma quebra de 3,3%, para 40,47 euros. Os quatro estrelas, por sua vez, foram os únicos a apresentar uma subida no preço médio, passando para 58,24 euros, acréscimo de 0,4%. No acumulado do ano, a situação é mais dramática, uma vez que as descidas são comuns a todas as categorias, com o preço médio a descer 1,7% na globalidade dos hotéis, para 67,05 euros. A maior descida é apresentada pelos cinco estrelas, onde a queda foi de 7,1%, para 107,96 euros, seguindo-se os quatro estrelas com um decréscimo de 1,9%, para 57,40 euros, enquanto os três estrelas apresentaram um preço médio de 41,93 euros nos últimos 12 meses, descida de 1,1%. No revPar de Fevereiro, o destaque pela negativa volta a recair nos três estrelas, onde este indicador perdeu 7,7%, para 19,67 euros, ainda que na globalidade o revPar tenha subido 7,2%, para 32,75 euros. Já os quatro e cinco estrelas pautam-se por uma melhoria, com os quatro estrelas a subirem 11,7% no revPar de Fevereiro, para 30,47 euros, enquanto nos cinco estrelas o crescimento foi de 0,8%, para 45,38 euros. Mas no acumulado dos últimos 12 meses a situação volta a apresentar-se mais complicada, com o revPar a cair globalmente 1,8%, fixando-se nos 30,05 euros, observando-se também descidas nos três e nos cinco estrelas, que caíram 7,9% e 10,6%, para 19,00 e 42,14 euros, respectivamente. Os quatro estrelas foram os únicos a apresentar uma subida, ficando com um revPar de 27,41 euros, aumento de 2,9%. I.M.

(Visited 1 times, 1 visits today)