Hotelaria nacional está mais pessimista em relação à Pascoa, diz estudo da AHP

A Associação da Hotelaria de Portugal (AHP) foi conhecer as perspectivas dos hoteleiros para as férias da Páscoa, constatando que a maioria está mais pessimista face à Páscoa do ano passado, com grande parte dos inquiridos a preverem mesmo quebras na ocupação, receita total e preço médio, sendo o Algarve o destino mais pessimista a nível nacional. “Gostávamos muito de poder constatar que as expectativas para a Páscoa eram positivas para o sector e para o ano turístico, mas os resultados do inquérito indicam o contrário”, diz Cristina Siza Vieira, presidente da Direcção Executiva da AHP, considerando, no entanto, que as perspectivas não são tão pessimistas como seria de imaginar, até porque a Páscoa de 2012 já tinha sido negativa. “A Páscoa de 2012 correu de facto mal, sobretudo para a região Centro e para o Algarve, muito por força do mercado espanhol. Daí que para este ano as expectativas se tenham ajustado: já não se vai cair tanto”, acrescenta a responsável. Ainda assim, a maioria dos inquiridos está pessimista em relação ao período relativo às férias escolares de Páscoa, entre 16 de Março e 1 de Abril, com 57% dos inquiridos a afirmarem que a receita total vai ser pior este ano que em 2012, sendo que apenas 25% dos hoteleiros acreditam que a receita total se vai manter face a 2012. Relativamente à taxa de ocupação, 45% dos inquiridos esperam uma taxa inferior à de 2012, enquanto 35% dizem que a ocupação deverá ser idêntica à do ano transacto, sendo apenas 19% dos inquiridos que acreditam numa melhoria. Já o preço médio por quarto disponível vai descer para 56% dos inquiridos, enquanto 29% acreditam numa manutenção, existindo ainda 14% que esperam uma subida do preço médio por quarto disponível. Quanto aos destinos turísticos, o estudo da AHP apurou que o destino mais pessimista em relação à Páscoa é o Algarve, um sentimento que se justifica pela provável descida do revPar e das receitas, seguindo-se o Centro e o Alentejo, enquanto Lisboa é o destino turístico nacional menos pessimista. I.M.