Hotelaria e restauração prevêem aumentar emprego em 15% no 1º trimestre de 2017

Enquanto o emprego deverá aumentar em 5% no país, em termos gerais, no primeiro trimestre do próximo ano, os sectores da hotelaria e restauração têm perspectivas de crescimento bastante acima da média. As projecções veiculadas pelo ManpowerGroup Employment Outlook Survey revelam, para estes sectores, um aumento de 15%.

Em termos sectoriais, os resultados do inquérito da ManpowerGroup Employment revelam que os empregadores portugueses da Restauração e Hotelaria são os que projectam maior criação líquida de emprego (+15%), seguidos pelos empregadores dos Transportes, Logística e Comunicações (+12%).

O facto de a hotelaria e a restauração estarem no topo fica a dever-se ao bom momento do turismo, como explica Nuno Gameiro, Country Manager da ManpowerGroup no nosso país. “A vitalidade do turismo poderá estar relacionada com estas perspectivas de crescimento do emprego na Restauração e Hotelaria, o que justificaria em parte a projecção na área dos Transportes, embora o primeiro trimestre do ano não seja aquele a que empiricamente associamos maior dinamismo neste sector”, comenta o responsável.

Segundo o estudo, a contratação deverá prosseguir em terreno positivo nas três grandes regiões do país mas as melhores perspectivas estão no Sul, onde os empregadores projectam uma criação líquida de emprego de +11%. Tanto no Norte como no Centro é antecipado apenas um modesto aumento de 3%.

Na área do Grande Porto, as perspectivas estão ligeiramente acima das da região Norte, com uma projecção para a criação líquida de emprego de 4%, enquanto na Grande Lisboa acontece o contrário, com uma projecção de 1%.

Num país de PMEs, são no entanto os empregadores das Grandes e Médias Empresas os que apontam para um aumento mais significativo da criação líquida de emprego, de +15% e +12%, respectivamente. Já as Micro Empresas e Pequenas Empresas antecipam a manutenção da força de trabalho existente.

“Se tivéssemos de traçar as grandes linhas para o primeiro trimestre de 2017, diríamos que a projecção para a criação líquida de emprego indica a continuidade de um ritmo de contratação moderado, e que a criação de emprego será impulsionada pelas Grandes e Médias Empresas, na Restauração e Hotelaria e nos Transportes, Logística e Comunicações, em especial na região Sul”, conclui Nuno Gameiro.