IATA: Crescimento do tráfego aéreo mundial acelera nos últimos 5 meses

A Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA) anunciou os resultados globais de tráfego de passageiros para Julho, mostrando uma aceleração no crescimento da procura.

O número de passageiros-quilómetros transportados (RPK) aumentou 5,9% em relação ao mesmo mês do ano passado, com todas as regiões do mundo a apresentar subidas. A capacidade do mês (assentos-quilómetros disponíveis ou ASK) aumentou 6% e a taxa de ocupação foi de 83,7%, apenas 1pp abaixo do recorde alcançado em Julho de 2015.

No que diz respeito apenas ao tráfego internacional de passageiros, o aumento foi de 7% em relação a Julho de 2015, sendo que em Junho o crescimento já tinha sido de 5%, enquanto a capacidade cresceu 7,3%, fazendo o load factor baixar 0,2 pp, para 83,5%

De acordo com a IATA, as companhias aéreas em todas as regiões registaram crescimentos, sendo que foram as do Médio Oriente que tiveram maiores subidas em Julho, ou seja 13,1% face ao período em análise do ano anterior. Neste caso, a capacidade aumentou 15,5%, tendo a taxa de ocupação caído 1,7 pp, atingindo os 78,6%.

Na Europa, a procura em Julho subiu 4,1% em relação ao mesmo do ano anterior, tendo sido o mais lento entre as regiões. A procura foi afectada pelos recentes ataques terroristas, bem como pela instabilidade política em alguns países europeus. O tráfego nesta região do globo tem crescido apenas a uma taxa de 1,4% desde Março. A capacidade aumento 4,7% mas mergulhou 0,5pp para 86,7%, ou que ainda foi a maior entre as regiões.

O relatório da IATA indica que os passageiros asiáticos estão a adiar as suas viagens à Europa em favor de viagens regionais devido aos receios do terrorismo.

Entretanto, a procura de viagens domésticas subiu 3,8% em Julho em relação ao mesmo mês de 2015, mas a um ritmo mais lento em 19 meses. A China e a Índia continuam a crescer, enquanto os mercados mais maduros entraram em “ponto morto”, com o Brasil e a Rússia a derrapar. A capacidade do mercado doméstico subiu 3,7%, a taxa de ocupação aumentou 0,1pp para 84%