IATA: Load factor atinge novo recorde em Março

Segundo dados divulgados pela IATA – Associação Internacional do Transporte Aéreo, a procura voltou a acelerar em Março, com um aumento homólogo e 9,5% e a taxa de ocupação dos voos a atingir um novo recorde.

Com a procura a crescer 9,5% e a capacidade, medida em assentos por Km, a aumentar 6,4%, levou a que a taxa de ocupação subisse 2,3 pontos percentuais em Março, face ao mesmo mês do ano passado, atingindo os 82,4% (em Fevereiro tinha sido de 80,4%, valor que foi também um recorde). Todas as regiões do mundo, à excepção do Médio Oriente, registaram, segundo a IATA, valores recorde ao nível da taxa de ocupação dos voos.

“A procura de viagens aéreas mantém-se sólida, assente num panorama económico e em níveis de confiança empresarial relativamente saudáveis”, afirmou o CEO da IATA, Alexandre de Juniac. O responsável frisou no entanto que “o aumento dos custos, especialmente no que toca ao preço do combustível, irá moderar o impacto positivo das tarifas mais baixas sobre a procura no segundo trimestre do ano”.

Em termos do tráfego internacional, a procura cresceu 10,6% em Março, em cima do aumento de 7,4% registado no mês de Fevereiro, Todas as regiões tiveram um desempenho forte, com a capacidade a subir 6,6% em termos homólogos e a taxa de ocupação a aumentar 2,9 p.p. para 81,5%.

A região da Ásia-Pacífico comandou o crescimento, com +11,6% mas todas as regiões do mundo registaram aumentos na procura. A Europa, que assistiu a um aumento homólogo de 9,8% na procura face ao mesmo mês do ano passado, registou o load facto mais elevado de todas as regiões: 84,6%, +2,6 p.p. em ternos homólogos.

Já o mercado doméstico de passageiros registou uma pequena desaceleração no crescimento, motivada sobretudo pelo fraco desempenho das rotas domésticas dos Estados Unidos. Em termos globais a procura doméstica cresceu 7,8% (+8,2% em Fevereiro), com a capacidade a aumentar 6,2% e a taxa de ocupação a subir 1,3 p.p. para 84%.